sexta-feira, maio 26, 2006

À espera de ti...

Para as flores deste espaço.

À espera de ti,
Eu permaneço aqui,
Fechada dentro deste meu mundo,
Sem portas,
E com múltiplas pequenas janelas,
Pelas quais vislumbro,
A vida que lá fora passa!

E tu,
Ser que povoa o meu imaginário,
Não sei sequer se és real,
Não sei sequer se existes,
Se estás longe ou perto,
Só sei,
Que eu aqui permaneço,
À espera de ti!

E quando chegares,
Vais ter de esculpir uma porta,
Apenas com as tuas mãos,
Neste meu mundo,
Para nele puderes entrar,
Sendo que essa,
Será a tua prova,
Do merecimento,
Que dele podes fazer parte.

E eu,
Que tanto anseio pela tua chegada,
Pelo calor do teu abraço,
Pelo teu afago no meu leito,
Pelo preenchimento deste pequeno vazio
Bem latente no meu ser,
Não sei,
Se te quero ver entrar.
E talvez por isso,
Neste meu mundo,
Portas não haja,
E as janelas estejam fechadas.

E apenas uma existe,
Que permanece entreaberta.
É uma pequena clarabóia,
No topo da minha alma,
Que por estar “bem lá em cima”,
(como que a salvo)
Por ela apenas vislumbre,
O pleno de um céu,
Que sabendo,
Ser difícil de igualar,
Vou contemplando,
Enquanto espero por ti,
Meu anjo caído!

21 comentários:

Flôr disse...

A título de despedida desta semana e com a cabeça lá fora a aguardar as 18.30.que trarão consigo o corpo que corre em busca do ar da casa e do ambiente de família e amigos.Dois dias para reforçar o "up",porque nova semana virá e o ciclo dos dias,marcará na sua maioria a monotonia deste correr de tempo.Estes ninos ,Brain e Putty Cat,estão recheados de carinhos e perfumes.De letras que passam e trazem consigo a história de cada um e se junta a memórias;que no fundo se tornam comuns.
Este teu "À Espera de ti...",deixou-me cair no pensamento das encruzilhadas de esperas.Eu espero,tu esperas...
E enquanto isso,e no caminho de encontro,quantas vezes não cruzamos uma outra pessoa também ela à espera?
Na busca ,do complemento destes serem carentes de mimos e amores;tornamo-nos a "falsa luz" para outros.
Por vezes,a marca da nossa passagem,tatua a pele de quem nos vê,e nos transforma em "raio de luz".
Terras secas,onde uma simples gota de água,faz florescer e revitaliza a folha caída,porque as forças foram com os sonhos perdidos.
É-me tão custoso ser "Marca de vida",ser amiga ,carinhosa,tentar mostrar a, ou as fontes da minha energia,e ter como observador,aquele coração ao peito que se mostra com o apelo..."Dá-me o teu carinho,mais um dia."
E quando vemos,que as chamas são resultado de forças "emprestadas",e nos prendemos,sem conseguir ter a luz que era a nossa e sem passar a fonte da energia "mágica"!Aí,vem o avesso da luz ,e partem-se os filamentos,fundem-se as lãmpadas.
O túnel aumenta!
Quantas vezes sinto carinhos e forças,e penso no mundo dos invisuais...Será mais fácil fantasiar para acreditar no que sonho?Se temos a hipótese de ver,porque não dá-mos luz ao olhar e vemos as coisas mais claras.
Se estamos em "reconstrução",é bom pensar e viver como real,a existência de algo,de alguém,que virá para tranquila e docemente,sentar-se a meu lado.
Vi e vivi,tempo de inérsia dos sonhos!E foi em mim que me foquei...se eu não ouço a minha alma,nada conseguirei ouvir.
Deixemos a ideia, que estar bem depende de outrém...
Dizias muito bem Brain,o amar,o bem estar,ser feliz,terá forçosamente de ser conjugado,na,e pela primeira pessoal do singular-EU.E depois,a sequência o TU!Tu és Feliz...e depois quem sabe NÓS...
Fico triste pelo tempo das portas fechadas,onde a passagem terá de ser o merecimento,e assim permitida a presença.Enquanto não tememos,a espôntaneadade do nosso acolhimento,permite conhecer um leque infindável de seres.E de forma natural,escolher e fazer a "triagem".Todos temos a aprender com alguém.E existe tanta energia boa por aí!Pena que se tenha de perder,de ir ao fundo do ser para subir e ver,que se é amada,feliz!Que o viver a construir,é possível se pensar o que significa estar aqui agora,a trocar letras de vida e a respirar!Deixemos o peso das contrariedades e saibamos a cada dia,ficar com a "lição".Uma pedra,um alicerse, um castelo!
O Princípe...pode ser o meu tesouro,um FILHO, o meu amigo companheiro.
Aprender a descodificar o som dos gestos,dos olhares,e aumentar energias que são partilhadas,faz da Amizade,o mais belo do Amor.
Não sou a companheira nos teus dias,mas serei sempre uma amiga presente.
Brain,gostaria de dedicar ,neste teu espaço,estas letras.
Escrevo para ti "meu alentejano".
Nunca deixes que o brilho do teu olhar se apague.E como tantas vezes digo:O Sol nasce todos os dias ,e não aquece sempre do mesmo modo.
Começa dentro de ti.Eu entendi que eras prisioneiro!Mostrei-te o caminho,mas não te posso soltar!
Desculpem ter sido tão extensa.
beijos

Brain disse...

Flôr,

Em primeiro lugar, obrigado por estas palavras. Todas elas.

Em segundo lugar, não te deve ter passado despercebido o facto de estar a "falar" como se de uma personagem feminina se tratasse.
Não escrevi este texto com base em mim.
Não o fiz por mim.
Fi-lo, porque me coloquei na pele das duas flores que povoam este blog.
Fi-lo, como que falando pela vossa boca.

Eu, da minha parte, já não espero.
Encontrei quem procurava há 20 anos e quem bem que estou. Que bem!

Beijos a todas e um bom fim de semana.

papoila disse...

oi. já li e reli este teu post. hoje senti-me "obrigada" a comenta-lo.

Parabéns. Tão bem escrito...

Hoje tou cansadita, para não dizer CANSADA!!!!!Cansada de tanto esperar por uma pessoa específica, com mome, BI e nº Contribuinte. A porta está aberto, a janela escancarada mas ele não quer entrar...

beijos e continuação de um bom fds.

Flôr disse...

Bom dia,e votos de uma boa semana.
Sugiro uma ida à feira do livro.
Pois,para iniciar a nossa conversa de letras,devo dizer que no fim de semana,voltei a estar nos nossos escritos,na leitura interior de cada ideia aqui partilhada.
Gota de orvalho!Sim Brain,tu dás a frescura as flores deste espaço.
A cada pulverização de texto,lá bem a frescura de alma,o perfume invade.
E assim,inicio mais um conjunto de dias,mais vontade de estar convosco.
Se não te chateias,Comento o seguinte:
Nesta caminhada,onde tento andar nas paisagens tranquilizantes que a minha mente me sugere de roteiro,tive sorte.Tive um "sinal",tive talvez a "prenda",que aliás penso ser merecedora.
Tenho como Amiga,uma flôr encantadora!Sim ,TU PAPOILA!

papoila disse...

Bom dia!!! Bom dia Flor... deixa-te dessas coisas que me deixas sem saber o que dizer...
Brain, nada de novo hoje? Habituas-nos mal....
Posso fazer copy do "à espera de ti..." e enviar para amigo? (sempre com "Bain" no fim do texto claro!!!!)
chuaaaccc

Brain disse...

Bom dia a todas.
Papoila, hoje dificilmente haverá alguma coisa. Vamos a ver.
Obrigado pelos parabéns relativos ao meu último post.
Quanto aos meus textos, podes fazer com eles o que quiseres.
Se não fosse para serem públicos, não os colocava num local público.

Beijos.

Brain disse...

Flôr,

Num jardim deserto, nenhum orvalho produz qualquer efeito.

De qualquer forma, gostei do "adjectivo".

Obrigado pela tua presença e continuidade.

Flôr disse...

Brain,para não me "perder",descodifica-me "Jardim deserto..."

Brain disse...

Quer dizer que se vocês não existissem, não andassem por cá, (o "jardim" não teria "flores") não me lessem, não gostassem do que lêm, não comentassem, não me dessem no fundo alento para continuar, se calhar hoje, este blog já não existia.
E então, eu, já não conseguiria ser "orvalho".

Uma vez mais, obrigado a todas.
Obrigado pelo carinho.

papoila disse...

obrigada.****

Flôr disse...

Isto de ter de dividir a "paz" e a profissão,por vezes não permite a relação e ligação perfeita.
Devo confessar.que li e não tive o "reflexo",daí ter pedido a tua ajuda.
É Especial,quando tenho um tesouro a partilhar.Um sorriso ,uma palavra ,a mão que se estende para um auxílio.
E torna-se muito Especial,quando somos "ponte"de travessias sem rumo.Brain,és certamente Especial.
E penso até,que isto será um pouco a multiplicação, a formúla exponêncial...
Tu partilhas,e ao transmitires a "paz",dás a quem te lê a forma e a crença,de que é possível.
Tu és carinho em expressao.Como falas da tua filha,da tua esposa.
Fico tão feliz,quando vejo na prática ,aquilo que defendo e o Sonho,uma realidade.
És orvalho!És sensível...
E do pouco que te "vejo",pois ainda não te "conheço"...és um ser espectacular.
Um Homem diferente!Talvez porque saibas ouvir o teu eco,e não esquecer os outros.
Passem no blog-confissoes de uma mulher de 30-o post é uma letra da Mafalda Veiga.Lindo!!

papoila disse...

sempre que leio este post, sinto como ele está bem escrito.

qual o teu segredo? como consegues ler os outros?
vou tentar aprender um niquinho. acho que se conseguisse ler um pouquinho os outros toda a minha vida seria mais calma.

Brain disse...

Papoila,

Eu vou-te responder "condignamente" à tua questão.
Mas entretanto, como o trabalho no momento não o permite, deixo-te aqui estas "palavras":

Como é por dentro outra pessoa
Quem é que o saberá sonhar?
A alma de outrem é outro universo
Com que não há comunicação possível,
Com que não há verdadeiro entendimento.

Nada sabemos da alma
Senão da nossa;
As dos outros são olhares,
São gestos, são palavras,
Com a suposição de qualquer semelhança
No fundo.

Fernando Pessoa, 1934

papoila disse...

:))) ********

Putty Cat disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Brain disse...

Papoila,

Na minha vida tenho várias paixões.
Sou uma pessoa apaixonada pela vida e praticamente tudo o que ela contém.
E assim, “aprendi” a apreciar cada coisa de uma forma, não direi especial, mas cuidada.

O ser humano, a sua mente, os seus sentimentos, pela sua individualidade, sempre me fascinaram.
Por necessidade, encetei estudos nessa área e desde então, nunca consegui estar com ninguém, sem estar atento aos “pormenores”. Como diz Fernando Pessoa, “são olhares, são gestos, são palavras…” que nos transmitem o que vai na alma dos outros.

Atento ao que as pessoas me transmitem, da forma como o fazem, quando o fazem, consigo na generalidade dos casos, aferir sentimentos, formas de estar e até pensamentos de terceiros, sem que eles, de uma forma consciente, mos transmitam de forma directa e clara.
No entanto, sem se aperceberem, vão-no fazendo.
E quem estiver atento (e interessado), vai colhendo as peças, que no final, completam o puzzle.

Depois, é “só” desenvolver a capacidade de nos colocarmos no lugar dos outros, para conseguirmos ser, simultaneamente, actores e espectadores e podermos assim, como actores explorar a personagem, enquanto que, em acto contínuo, como espectadores “apreciamos”. Pois como eu sempre digo, não existe uma única realidade, mas tantas quantos os intervenientes.

Et voilá!
A fórmula não é simples, mas também não é tão complexa assim.

E para quem (como eu) se interessa quer pelo assunto, quer pelos outros (lê o meu “profile”) as “coisas” acabam por surgir de uma forma “natural”.

No final, tudo quase se resume a duas coisas: interesse e vontade!

Espero ter sido esclarecedor.

Beijo.

papoila disse...

foste esclarecedor...
primeira reação às tuas palavras:
ups, tenho que ter cuidado com ele. o que ele lerá nas minhas atitudes, nos meus gestos, nos meu olhares? (que estúpida esta minha reação..)

há uma coisa que alguém me disse várias vezes e continua a dizer
[ :-) ]: "tenta por-te no lugar da outra pessoa"
vou tentar lembrar-me disto mais vezes.

obrigada

Brain disse...

Papoila,

Só hoje me lembrei de te dizer isto:

O que eu "leio" nas outras pessoas, para mim o guardo.

Não te preocupes com isso.

Flôr disse...

Brain,
Apetece-me chamar-te "espelho da minha Alma."
Apoixono-me,sempre que preciso avançar e não tenho força.
Saboreio o sol que me aquece.
Adoro ,observar o comportamento humano e descodificá-lo.
Sou complexa nas relações,por me posicionar ,no meu ,e no lugar dos outros.
Tenho tudo isto,feito e vivido,duma forma simples.Sou uma pessoa "vulgar",onde as palavras e a falta delam me identificam.E assim,serei mais conhecida,por quem vê mais com os sentidos ,do que com os olhos.
Sinto-me agora encontrada.
És talvez a pessoa que melhor me ouve e compreende.Obrigada.

Brain disse...

Flôr,

I'm always here!

Anónimo disse...

É realmente espantoso...apenas ao sentir um forte aperto no coração e sem ter como desabafar, decidi apenas escrever precisamente estas palavras "à espera de ti..." e eis quando leio tal e qual o que me vai na alma...espantoso! Esta vida é de facto uma espera e, por vezes, a espera é pelo que nunca chegamos a alcançar e, continuamos à espera...sempre à espera...de ti!