segunda-feira, maio 29, 2006

Falar sem ser Ouvido

Porque hoje não é um dos meus melhores dias, decidi compartilhar convosco um poema do meu autor predilecto, que demonstra bem, o que sente quem escreve (fala) sem ter quem o Ouça devidamente.
Leiam, e percebam bem, o quanto o vossa participação aqui, é importante.

Numa outra prespectiva da questão, vejam retratado aqui, a angústia de pessoas que não dialogando, fazem monólogos a dois.

Teus olhos entristecem.
Nem ouves o que digo.
Dormem, sonham esquecem...
Não me ouves, e prossigo.

Digo o que já, de triste,
Te disse tanta vez...
Creio que nunca o ouviste
De tão tua que és.

Olhas-me de repente
De um distante impreciso
Com um olhar ausente.
Começas um sorriso.

Continuo a falar.
Continuas ouvindo
O que estás a pensar,
Já quase não sorrindo.

Até que neste ocioso
Sumir da tarde fútil,
Se esfolha silencioso
O teu sorriso inútil.

Fernando Pessoa, 19-10-1935

17 comentários:

Flôr disse...

Escuta o "vento"!
Ele devolve-te o som das alegrias de quem te lê(ouve).
E se esse "vento",nada te disser,irei eu a correr à sua frente, para dizer...
O eco que fazes nas flores deste canteiro.
Ouvimos-te,sentido a cada palavra o alento para escrever!Quem sabe as memórias...ou talvez o Futuro!

papoila disse...

infelizmente acho, e espero estar errada, que a maior parte das realções vivem num "falar sem ser ouvido". não estou a falar só em relações homem-mulher.

até com as crianças isso se passa. quantas vezes falam para mim e eu estou a pensar em tudo menos no que elas me estão a dizer. por simples palavras que sejam, transmitem por vezes o que elas poderão estar a pensar, viver no seu interior. e a nós passa-nos tudo ao lado.

a situação agrava-se quanto mais importante for a conversa e quanto maior é o período temporal em que vivemos assim, sem ouvir...

tb acho que muitas vezes é necessário "dar um murro na mesa" para lembrar ao outro lado que estamos aqui e que estamos a falar para ele. se não o fazemos, deixamos de ter legitimidade para exigir...

Putty Cat disse...

Colhamos flores, pega tu nelas e deixa-as no colo.
E que o seu perfume suavize o momento.
- Este momento, em que sossegadamente não cremos em nada...

FP

Hoje, não fiz nenhum post.
Porque hoje, embora decidida a fazê-lo, algo me entristeceu o coração.
E hoje sinto-me impotente por não conseguir vislumbrar um sorriso de um amigo.
Porque hoje, pela primeira vez, senti-lhe palavras muito pesadas para a leveza que ele sempre transmite e que sempre me deixa bem disposta, memso quando teimo em não estar...
E hoje, estou triste, porque não consigo estar de outra maneira.

Apesar de tudo, ele sabe que estarei sempre "por aqui", para juntos construirmos moinhos, quando os ventos agrestes se começarem a sentir.

Ele sabe...

Flôr disse...

Seria estranho,se não sentisse um certo "arrepio",como um pouco da vossa tristeza me invadisse.
Brain,Putty Cat,algo se passa.
E mais uma vez se vê aqui, o que é a amizade,o silêncio falante, e a cumplicidade.
Estaremos longe,em pontos dispersos.Mas estamos juntos num blog,que faz com que estejamos presentes na expressão de cada um.
Brain,se estás triste,a Putty cat não tem expressão nos lábios e nós entendemos que algo se passa.
Se o arco-íris nem sempre nos dá a mesma nitidez nas suas cores,o dia hoje será talvez menos intenso em luz.
Façamos a colheita de malmequeres,um colar para cada um!
Vamos sair deste dia,com o colar de flores,simbolizando um elo de amizade,deste blog,que para mim é um cantinho de paz.
Queres levar o meu?
Mas olha,são iguais,e o número de flores não interessa.Quero ver no teu rosto hoje mais triste,uma expressão atenuada por este elo entre nós.
O nosso colar de malmequeres.

Brain disse...

Papoila,

Tens toda a razão.
É isso mesmo.

Mas o pior...
O pior mesmo é que a seguir a uma "fase" destas, vem o silêncio!
E esse, como diz na letra do Simon & Garfunkel que já postei aqui no blog:
"Silence like a cancer grows"

Por isso, nunca deixem de falar, nunca deixem de OUVIR, por aí, reside o "segredo" da partilha que faz prolongar no tempo as relações.

Brain disse...

Putty,

Sim, eu sei!

Beijo.

Brain disse...

Flôr,

Obrigado pelas tuas "palavras"

papoila disse...

:))) ufaa!!! estava a ver que não aparecias...

se eu puder ajudar...

*******

Flôr disse...

Não me sinto flor desse jardim.Pois quem nos "cuida","picou-se numa roseira"!
Já tinha falado à miga Papoila,que algo se estava a passar.
Serei alguém,para estar ao teu "lado".
Caso queiras tentar:ivalente@iol.pt.
Tirem as vestes escuras!Façamos uma dança de branco!

Brain disse...

Papoila,

Estive ausente em trabalho, desde ontem ao final da manhã.
Daí a minha ausência.

Obrigado pelo cuidado.

Brain disse...

Flôr,

O teu endereço de e-mail eu já o sabia. (Pela assinatura no Blog "Mulher de 30") :)

Tal como disse à papoila: Atento aos pormenores.

Obrigado pela oferta e pelas palavras que deixaste no blog que referi.

Flôr disse...

Acrescento...
Falas-me de "Espera",de "Raio de Luz"...
Não serás único,mas não encontro muito números pares.
Atento,sensível...
Ainda bem,que nos encontramos,numa encruzilhada de letras.
Se esse teu repetido "obrigado"pelas minhas palavras,possa ser sinónimo de te agradar na escrita e partilahr vivência;agradeço-te eu o facto de me proporcionares fazê-lo.

Putty Cat disse...

Consegui!

Consegui vislumbrar-lhe um sorriso!
Hoje, vou embora mais leve.

Um beijo a todos(as).
:)


PCat

Putty Cat disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
papoila disse...

muito bom dia!!!

Flôr disse...

Bom dia,amigos.
Hoje,entrei aqui,e segundos depois apeteceu-me sair sem volta...Coisas...
Mas,o mais importante.Hoje pareço um abecedário desordenado,e não sei o que fazer às letras.
São diversos os assuntos que gostaria de tratrar.O meu ex marido,os filhos,as caminhadas,um amigo.E,principalmente eu!
Estou a transbordar de emoções e sensações...
Pequenas coisas,que teriam feito de mim,alguém Feliz e mais completa ,em tempo certo!
São agora,"culpadas",da falta de reacção...de coisas que em tempos busquei,de coisas que admiro...mas...que não tem significado;neste coração sofrido e nesta alma livre que é a minha!

Brain disse...

Flôr,

A 12 de Abril, fiz um post que tinha como título "Adiar..."

Lê-o (ou relê-o) e depois falamos.