quarta-feira, maio 31, 2006

Procuro

Na minha existência,
Sinto uma necessidade permanente.

Como resposta a ela,
Intento uma busca constante,
Pelo tudo,
Que julgo necessitar,
Que penso ser essencial,
Mas que muitas vezes,
Nem consigo definir.

O que procuro afinal?
Após várias reflexões,
A conclusão surge,
Como óbvia,
E simples:
Procuro o “Conhecimento”.

Mas o que é o conhecimento?
Em que consiste?
Onde me leva?
Porquê esta necessidade,
Constante e absorvente
Do mesmo?

Para mim,
O conhecimento é algo mais
Do que a mera constatação,
Empírica dos factos.
É a necessária compreensão,
Em toda a sua extensão,
Do que foi,
Do que é,
Porque foi,
Porque é.

Sem isso,
Sem a devida compreensão,
A informação fica incompleta,
E eu,
No meu íntimo,
Não fico satisfeito.

Para mim,
Muito mais importante do que o acontecido,
É o porquê da sua ocorrência.
E aqui,
Penso que reside a minha verdadeira “essência”.

Não existe consequência sem causa,
E sem compreendermos verdadeiramente,
A causa,
Não conseguiremos nunca,
Apreender a totalidade da consequência.
Porque muitas vezes,
Talvez,
Na grande maioria das vezes,
São bem mais importantes os resultados
Da causa,
Do que da própria consequência.

E é assim,
Através desta busca,
Que empreendo também em mim,
Que consigo,
Em primeiro lugar,
Compreender-me a mim próprio,
Para desta forma,
Conseguir compreender,
E posteriormente ajudar,
Quem me rodeia.

O que procuro?
No limite,
Procuro constantemente,
Por mim.

7 comentários:

Flôr disse...

Brain,este post...COMPLETO!
Parabens,orgulho-me de ler o que tão bem escreves.

Flôr disse...

Brain,já li...
Entendeste o que não disse...
e isso leva-me uma vez mais aos desencontros...
Adiei,porque falo e não me entendem...porque fica a dúvida se não me explico,ou não me percebem...
Adiarei a resposta e deixo de viver,de forma simples o "simples",porque a "nossa"linguagem não é a mesma.

Brain disse...

Flôr,

"Entendeste o que não disse..."
Queres com isto dizer que li bem nas entrelinhas, ou que não percebi?

HHHuuuummmm......
Não me parece que seja o 2º caso, pois não?

Flôr disse...

Claro que não...

Brain disse...

Pois...
Sabes uma característica que temos em comum?
Ambos dizemos muito nas entrelinhas e esperamos que os outros nos entendam.
(se a minha esposa vê isto, "salta-me já em cima" :)
Mas é verdade.
Eu, por força se calhar de um hábito de leitura que tenho, e com uma certa predilecção por poesia, como que aprendi a dizer as coisas de uma forma quase que indirecta, por dessa forma ser mais "abrangente". Só que nem todas as pessoas conseguem entender as coisas que são transmitidas dessa forma.

Mas sabes, nunca deixei que isso provocasse um desentendimento.
Se há coisa que eu detesto, por poder levar a situações desagradáveis, são mal entendidos, e quando sinto que algo pode não ter sido bem esclarecido, faço questão de esclarecer tudo de forma bem clara, nem que para isso tenha de "soletrar".

Não fiques à espera que os outros te percebam, FAZ-TE PERCEBER!

É muito importante que isso aconteça, senão...

Beijo.

Flôr disse...

Brain,considero isto um elogio!

Flôr disse...

no meio de números,a combinação da caneta e papel.
Para vocês ,desta Flôr:

Se eu mandasse neste dia,
O sol não se deitaria.
Porque a seguir ao dia,outro viria!
E os encantos da lua...
Faria-os eu, sendo Tua!
Numa dança de Amor,
Antes deste sol se pôr!