sexta-feira, junho 09, 2006

Acidentes interiores

Por vezes,
Batemos de frente contra nós.

Tentamos desviar,
Tentamos contornar,
Tentamos travar,
Tentamos inclusive,
Dar a volta para trás,
Mas é inevitável:
Batemos de frente contra nós.

E nesse embate,
Sofremos,
Despedaçamo-nos,
E no final,
No calor do momento,
No sentir das consequências,
Decidimos que,
Não voltaremos a fazer o caminho
Que nos levou até ali.

Mais tarde,
Porque nos esquecemos,
Porque não temos vontade,
Porque não temos força,
Batemos de novo.

E de que serviram os embates anteriores?
O que vimos com eles?
O que aprendemos com eles?

Que bater é bom?
Que gostamos?
Que de alguma forma nos torna,
Pessoas melhores?

Não!

Então porque teimamos em embater de novo?
Porque nos deixamos levar por isso?
Porque não reconhecemos os sinais,
E se os reconhecemos,
Porque não os acatamos?

Não faz sentido, pois não?
Todos sabemos que não,
Todos temos caminhos alternativos,
Todos sabemos que eles existem,
Nem que isso implique,
Subir ao topo de nós próprios,
Num esforço tremendo, Impar,
Nem que isso implique,
Ter de voltar atrás, ao início,
E recomeçar de novo.

Mas muitas vezes,
Muitas vezes,
Insistimos em voltar a percorrer,
Caminhos antigos,
Caminhos maus,
Com um destino certo,
Indesejável,
Mas que nós,
Por inércia,
Por falta de vontade,
Por comodismo,
Por saudosismo até, se calhar,
Percorremo-los de novo,
Para no final,
Nos lamentarmos com o novo embate,
Ficarmos com pena de nós próprios,
Com a legitimidade de quem,
Foi surpreendido por ele,
Com a legitimidade de quem,
Não sabia que iria ocorrer,
E por isso,
Nada podia ter feito para o evitar.

Acordemos!

Façamos com que,
O sentimento de “pena de nós próprios”,
Seja sobreposto,
De forma soberana,
Com o nosso “orgulho próprio”,
E digamos alto e bom som:

“EU QUERO O QUE É MELHOR PARA MIM,
E COMO TAL,
VOU FAZER POR ISSO!”

51 comentários:

Flôr disse...

Uma delícia...
Numa música do Rui Veloso(não faço ideia se letra dele),diz:
"...nunca volte ao lugar,onde já foste feliz!"
Arcoiris,já comheço as minhas quebras.
Quando escorrego,acabou,vou por ali abaixo.Mas,quando me levanto...que energia.
A minha "fuga" ao meu bem estar,está no desperdício...
Tenho demais,para estar sempre com a sensação de tão pouco.
Preciso ser mais activa,para com os outros,e mostrando o meu espaço.
Quando limar as arestas da minha postura,o meu "território"estará marcado.O tempo de ser "reprimida",não volta.
Putty Cat,como andas Nina?

Flôr disse...

desculpem,estou "trenga" hoje (pouco nervosismo).
"nunca voltes...)
"conheço"
"...e mostrar o meu espaço."
Aproveito,para:
Dei a conhecer este espaço a um "novo amigo".Gostou!Fica aqui o meu desafio,a um comentário seu.
Sabes,que é para ti que falo,vem partilhar!Espero-te aqui.
Um beijo

papoila disse...

o "trenga" paga direitos de autor.

bom lema me deste para este fds, brain...

agora falta "meter na cabeça" o que é o melhor para cada um de nós e não deixar que ruídos interfiram.

Brain disse...

Boa Flôr: Divulgação. Uma voz masculina, era bom.

Papoila: O lema não era só para o fds, mas se for PELO MENOS para o fds, já não é mau!
O que é melhor, nós sabemos, não é? Não deixar que os ruídos interfiram é que é complicado...

papoila disse...

concordo com o que tu dizes.
em principio, sabemos o que é melhor para nós. mas por vezes o nosso nível de lucidez é tão baixo, que não consiguimos manter o pensamento/actitude focado nisso.

depois há outro patamar. quando o melhor para mim se alarga para o melhor para nós. aí entra em jogo a capacidade de te adaptares ao que é bom para as outras pessoas que estão incluídas no "nós"...
dureza!!!!...

será que me faço entender?

Brain disse...

Papoila,

Entendo-te PERFEITAMENTE.

Mas vou só completar o teu "pensamento" com o seguinte: nada pode ser o melhor para "vós", tal não for o melhor para "ti".
Não sendo assim, terá de existir uma dose MUITO GRANDE de altruísmo da tua parte, que muito honestamente, pelo que te conheço, dificilmente te satisfará e logo caímos novamente no meu complemento da tua frase.

Concordas?

Brain disse...

Já pareço a Flôr :)

nada pode ser o melhor para "vós", se tal não for o melhor para "ti".

papoila disse...

desculpa, brain não percebi o teu primeiro comentário.

relativamente ao segundo, como sabes, quando falo em nós refiro-me às minhas gatas. e há "melhores" para elas que exigem muito de mim.

vou almoçar. volto já

Anónimo disse...

Olá Brian
hoje decidi comentar...
E quem não quer o melhor para si? por vezes não temos consciência do que é realmente MELHOR...
Só quando temos os embates muito fortes e descobrimos que estamos no caminho errado e que afinal o que parecia o melhor talvez fosse muito mau...
Depois há o medo de recomeçar,há lembranças, ... mas concordo contigo temos que ter uma grande dose de orgulho próprio e força para conseguir que o amanhã seja o melhor para mim, para ti e para todos..
Ainda bem que existem os Amigos!
já agora boas férias para ti...aproveita descança e diverte-te muito com as tuas meninas lindas.
beijinhos
Divina

Flôr disse...

Meus amigos...isto está cada vez melhor!
Quando ia no carro,viagem para almoço;pensava para mim!
Curioso,temas com focos especificos,criança,saudade,amor!
E depois a "misturada"!Tal qual ingredientes,e receita.E,aí cada um usa do seu jeito,da sua audácia,e vai mudando isto e aquilo.Para a dita receita,temos já "n",resultados.
Amigos,riu-me quando falo assim,pareço uma "padreca"!!
Isto é tão simples,quando deixamos ou "doseamos"muito bem ,as qualificaçoes.
Foi muito bom!Foi muito mau!
Quando o adjectivo for sempre bom,com os seus diferentes graus,aí sim!
Tudo é bom!E a forma como aceitamos,os "males menores",transformando-os não no pior,mas no "menos bom" dá-nos a velocidade controlada para esta viagem!

Putty Cat disse...

Existem alturas na vida em que também eu gostava de ter alguém com quem falar sem me serem feitas tantas perguntas.
Estabelecer uma espécie de relação contratual permanente, sem cariz monetário, em que esse alguém se limitasse apenas a ouvir quando eu quisesse falar, ou então, apenas a ouvir silêncios, a interpretar lágrimas, a interpretar olhares.

Flôr disse...

Estou "maluca"cheia de serviço e muita vontade de falar convosco.
Putty Cat,tive uma experiencia tão bonita com um agora AMIGO.
Porque te falo disto?
Numa fase má da minha vida,o inicio de reconstrução encontrei alguém que me ouviu....
Que maneira,tive todo o apoio,num ouvido do outro lado da linha,nas letras do mail.
Tanto falei,perguntas?Não faziam parte do contrato.Foi excelente ,e o pilar da Flôr!E hoje,vejo isso de outra forma...
Pois,repara a minha mudança!
Sem tirar o valor,daquela voz.Foi de tal forma importante que já lhe chamei a minha paixão da idade da consciência...Mas,sem dispersar.
Hoje entendo que ele não me ouvia assim tanto,mas era o único.Eu acho que ele precisava nessa altura,não se ouvir.Por tal,ouvir-me era importante e para mim imprescindivel.
Ves,que encontro em perpendiculares!?
Curioso!

papoila disse...

putty podes tentar esse tipo de compromisso aqui com o pessoal, embora o que digas passe a ser público e não tenhas aqui o contacto fisico de um colo ou de um ombro...

papoila disse...

não consigo me concentrar...
o trabalho em cima da mesa e nem olho para ele.
onde vocês andam?
a trabalhar?
hoje constatei que penso mais nos que aqui dizemos do que no que "discuto" nas minhas sessões com a psi...
espero não estar a aaranjar outra muleta...

papoila disse...

desculpem os erros ...

Brain disse...

Papoila:

Muleta ?!?!?!?
Se assim fosse, era uma GRANDE MULETA colectiva.

Não penses isso, pensa só que temos aqui um espaço em que cada um de nós pode opinar, sem qualquer tipo de "medos", com total liberdade, porque aqui, ninguém "deve nada" a ninguém, e só aqui está, porque quer e tem vontade, e só aqui está, enquanto quiser e tiver vontade.
Lê apenas, se quiseres;
Participa apenas, se quiseres;
Fala apenas daquilo que quiseres e quando quiseres.
Esta, penso, constitui a beleza deste espaço.

Não há vínculos contratuais permanentes, nem de cariz monetário.

Agora, o que penso que "se calhar" deves questionar, onde podes estabelecer um qualquer "termo de comparação" (se assim lhe quiseres chamar) é em termos de eficácia.

SE CALHAR, com uma boa base de amizades, que nos ouçam, nos entendam, nos compreendam, alguns tipos de ajuda, "menos convencionais" se tornem senão desnecessários, pelo menos, menos necessários.

Beijo.

Brain disse...

Divina,

Fantástico, finalmente decidistes-te a juntar-te a nós.
Fico contente com isso e espero que permaneças por cá.

A tua participação, acho que deve ser preciosa em MUITAS coisas.

Beijinho grande para ti.

Flôr disse...

Micas Papoila **
Já tive esse acompanhamento,e posso garantir-te ,que mesmo com bom resultado aque,este espaço é melhor!
No sábado tive uma alegria enorme.Cruzei-me com a Dra.Margarida,e estava em pé de igualdade.Ela sorria com o(s)filhos,no fim da Leopoldiva.E eu estava ali,com o sorriso e os meus tesouros.Bem disposta e livre!
Fui para essas ses´~oes ,porque buscava respostas e comentarios de pessoas isentas da minha vida e seus contornos.Queria ver,o que dizia como era entendido etc.
Aqui,vejo que todos temos as nossas coisas.A atenção não se foca em mim.Atraves dos outros,ajudo-me e dou-me ajudando.
Sao mais cabeças,são eles e elas.Sao historas com castelos,onde ainda existe uma princesa.E são historia do meu castelo de cartas.
Aqui,não somos a teoria dos compendios,mas a viva em cada dia.
Com o agridoce,que lhe dá-mos.
Não é muleta,é já o teu passo.

Brain disse...

Papoila:

O que eu quis dizer, foi que se tu, individualmente não estiveres bem, o "vós" como colectivo, também não estará (independentemente de quem forma esse colectivo).

Por isso, acho de certa forma "errado" abdicarmos do nosso "bem estar individual" em prol de um "bem estar comum", pois, não é possível ter um bom arranha-céus, sem uns bons alicerces.

Brain disse...

Flôr,

Uma vez mais: concordo contigo a 100%

papoila disse...

flor: em acho que cada um busca algo de diferente nessas ajudas. tenho a certeza de que o que eu busco é diferente do que tu buscas, por isso não podemos generealizar e dizer que aqui é melhor ou que lá é melhor.

simplesmente temos que saber tirar proveito das ajudas e au se calhar estava, lá, a desviar-me do meu obejctivo por causa de ruídos constantes.

brain: acho que neste meu caso concreto vou ter que abdicar de meu melhor em prol delas. não dá para ser clara, é algo muito intimo para ser partilhado assim (espero que todos me compreendam).

Brain disse...

Papoila, como eu disse, o que quisermos, se quisermos, quando quisermos!

E quanto aos nossos pequenos, ontem à noite tive uma conversa com a wife, em que pretendia explicar-lhe um determinado procedimento, ou atitude minha, que implicava um grande altruísmo. Para ela perceber bem o que lhe queria transmitir, utilizei a nossa filha.
De facto, por eles, somos capazes de tudo, até de abdicarmos de nós próprios por vezes.

Cada caso é um caso, e a generalização, nunca está correcta para todos os casos.

Flôr disse...

Costumo dizer,que quando atravesso momentos de fragilidade,há o cuidado desse meu guia(Deus),de me dar um sinal.
Posso retroceder,mas...nunca deixar chegar ao ponto de partida.
E é com imensa alegria,que tu Brain,me deixas!
O partilhar contigo opiniões,é força interior reforçada.
Gratificante,ter-te conhecido.
O sinal do meu "Deus"!
Papoila,talvez não fosse suficientemente clara.
Melhor,porque te transpoes ao EU,para ter a noção que o EU,afinal é NÓS.
Todos perdemos um dia a paleta diversificada,e pintamos tudo com duas cores.Preto e Branco.
Mexendo em terra ,fazemos lindos vasos!!

Arcoiris disse...

Papoila: Cada caso é um caso e mas acho que fazes bem falar com a psi., contudo acho que esta convivência faz melhor do que qualquer outra coisa. Tens duas meninas, TENS UM MUNDO dentro de tua casa, cuida dele o melhor que sabes e podes, mas NUNCA te esqueças de ti. Porque se te esqueceres não vais conseguir dar o melhor a esse Mundo. Força menina! Não fiques assim.
E agora em jeito de brincadeira:O que tu precisas sei eu....

papoila disse...

conheces-me pessoalmente arcoiris?

arcoiris disse...

Acho que sim...

papoila disse...

achas que sim...

bem me pareceu. logo no dia em que me cumprimentaste.
mas ok. prefiro não saber quem és.

alías, já disse ai brain que o melhor seria não nos conhecermos pessoalmente, só assim conseguimos ser mais verdadeiros connosco próprios.

Arcoiris disse...

Papoila, tu também me conheces, temos caminhos em comum. E é isso que te está a fazer falta, kilometros nas pernas! Bjs.

papoila disse...

disso tb preciso...

mas ficamos assim... sem eu saber quem és, embora já desconfie por onde andas...

Putty Cat disse...

Hoje bati de frente contra um amigo...
E o choque foi forte.
Saí lesionada e desconfio que as nódoas negras vão demorar a passar.

papoila disse...

se é teu amigo, putty, não acredito que um choque vos abale.

ainda hoje no comboio ouvi uma srª dizer: "deu-me uma resposta seca, a partir daí nunca mais fui a mesma para com ela. disse-me aquilo na minha casa... Sou muito amiga dos meus amigos, mas quando me fazem alguma..."

estive mesmo para lhe dizer que os amigos são o que nos dizem aquilo que gostamos de ouvir e aquilo que NÃO gostamos de ouvir.

por isso putty, se vocês são amigos, as nodoas passam mais rápido do que imaginamos.

não será melhor ires por um pouco de herodoide (acho que é assim que se escreve) nas nódoas dele...

papoila disse...

bom fds meninas
boas férias brain e wife
*********

Flôr disse...

Eu,entendo a vantagem de não ter rosto,mas...também lembro a sua importância.
Eu conheço a Papoila!
Quando li comentarios dela,noutros "caminhos",e de forma continuada,esbocei-a de forma a que não havia muito em comum com ela.Depois de contactos,e partilhadas algumas coisas das nossas vidas;outra Papoila.
Tu sabes,que es um ser fantastico.
Tu ouves,tu es ombro,e tu vives ao lado o nosso problema.
E es leve,e discreta,e não lembres que foste tu a força!
E depois a parte que tento falar conhecendo as diferentes vertentes.
É-me mais fácil entender porque a "inércia"dura um pouco mais em ti,que em mim.
Juntando peças que mostras,não posso pensar que não tens força(ideia isolada de ma leitura).
Eu sei que tens,e entendo a maneira como reages.
Separações diferentes,2 filhos,reacções,forças.
Duas flores,tanta diferença.
A ti,Papoila!Fragil,simples,e vermelha!!!
Eu Flôr!A maior,a mais pequena,não sei.Abrangente.
Foi importante ver de perto,para falar para ti e dar-te a minha opinião.
Tu sabes,que és a minha nova amiga.
Já te tinha dito :)
Acho importante o esboço e o decalque.
Bjs bom fim de semana.
Brain,wife e nina,boas férias

Flôr disse...

Putty Cat,
Bater de frente com uma ilusão,uma amor,ou uma amizade mostra-te a tua força!
Outrora,talvez..."o fim do mundo"!Hoje umas pisaduras!
Mais forte!
E as recordações,e os choques frontais,tem tambem o seu interesse...
Nada acontece por acaso!!
Nao é a menina que anda um pouco a "ferver",cansada,e com um comboio atras?Será um sinal....
Não sei,mas a descrição do "choque",leva-me a concluir que sim (???)
Força.À moda antiga papel mataborrão(?)e vinagre.Na versão JB,bebe um copo,isso passa!

papoila disse...

bom dia!
flor, obrigada.

afinal no sábado as coisas correram bem e o "melhor para mim" adaptou-se ao "melhor para elas", sem ser doloroso...

beijocas e boa semana para todas (os).

papoila disse...

flor, gostei da "inercia".

nisso tens razão. sou por natureza, por educação, por experiências vividas no meu crescimento, muito avessa a mudanças e isso faz que com todo este tipo de processos (divórcios, falecimentos de pessoas chegadas, etc)demorem mais tempo a serem aceites por mim.

já aprendi e tenho consciência disso.

****

RosaDosVentos disse...

Eu diria, agarrado à minha própria contemplação, que há momentos na vida, recorrentes - porque o equilíbrio não se mantém, constrói-se a cada segundo -, em que encostamos o nosso próprio ser à parede e lhe perguntamos: Então como é? Vai ser uma morte lenta ou uma ressurreição forte e célere? É o abalo, o safanão no sono que nos suspende o respirar e o arreganho. São sempre mais os problemas do que as soluções. O truque está em construir uma solução que abata vários problemas; um tiro que fulmine uma bateria de “inimigos”. A palavra, e sobretudo a palavra amiga pode servir de gatilho para espoletar o patriota resistente que há em nós. Comunguemos o verbo e partilhemos as semânticas que podem ser o socorro humilde do faminto de atenção e do pedinte de compreensão. Vejo aqui flores, umas genéricas outras de espécie distinta à procura da partilha, um arcoiris a tentar iluminar os céus das vivências, um cérebro pendular e um bichano a ronronar. SEJAM FELIZES!

papoila disse...

e agora uma rosadosventos a ajudar na orientação.

concordo com o que dizes. o equilibrio constroi-se dia a dia.

RosaDosVentos disse...

Sabes Papoila, há períodos do nosso remar em que tocamos a nossa barca por autos nervosos de penumbra e nevoeiro. Não enxergamos um palmo à nossa frente; rumamos à deriva como uma nau andarilha. Porém, acalentamos sempre (ou devemos acalentar) um sol interior que nos permita manter firme a esperança de enxugar a cortina nebulosa de lágrimas, dissipando a deriva. Encontramos o porto de abrigo e, então, regojizamos por ter mantido a fé. Estamos em condições de centrar o projecto pelas coordenadas cardeais da amizade, do amor e da fraternidade. Querer é poder e saber poder... Eu mantive o meu sol e encontrei a minha estrela...

Flôr disse...

Bom dia,
Rosadosventos,sê benvinda ao "cantinho" tranquilo,à voz interior que chama e estabelece este diálogo.
Foi bom,gostei muito da tua escrita,e o momento foi exacto.
Estamos a precisar de conversar,estamos muito caladitas.
Será que esperamos resultados numa semana de introspecção?Será que nos falta ,aquela "resposta" do Brain?Um pouco das duas talvez.
Orienta esta conversa,ou faz com que olhemos e sintamos orientação no rumo destes dias.
Um beijo ,um bom dia

Flôr disse...

Sempre que falava à minha psicóloga do cansaço que sentia dentro de mim,dizia:
É como se estivesse numa jangada!Remo,remo,e estou sempre no mesmo sitio.Sinto-me esgotada,não afogo,mas não me desloco!
E foi na vontade de avançar,na força de descortinar o teu "nevoeiro",com a fé(o fio de cabelo que a ela me agarrava),que fui.
Hoje alegra-me,não ter parado,ter mantido a chama pequenina na minha lamparina!Não iluminava,mas aquecia uma alma vazia,que se tornava fria!

rosadosventos disse...

Olá Flôr! O rumo dos dias é pautado pela forma como damos "alma" às horas que se vão sucedendo, sem inexorável contemplação ou lamento. Cabe a cada um não enjeitar as oportunidades que vão surgindo para preencher essas horas. O fado cumpre-se mas… temos sempre a liberdade de o adaptarmos (com maior ou menor exaustão) àquilo que consideramos que é, para nós, o melhor. Não vale a pena darmos passadas por trilhos que sabemos que não nos levam a lugar algum. Apologizo que é melhor tomar um rumo mais simples, menos ambicioso, mas que sabemos que nos traz resultados. Por isso, a “orientação” que esta rosa-dos-ventos pode avançar é: procurem a vossa unidade mais ínfima, descubram quem verdadeiramente são (se tal é possível!) e, depois, busquem no vosso mundo como podeis concretizar a vossa essência. Geralmente, isto parece uma conversa esotérica, mas na verdade é do mais simples que pode haver: é vida! Nós é que a complicamos, com a ajuda dos outros, claro…

arcoiris disse...

Bom dia!
É bom contar com mais alguém que decidiu dar o gosto às palavras e aparecer por aqui! Rosadosventos indica-nos o norte!
Papoila um beijinho!

papoila disse...

rosa, ainda bem que encontraste a tua estrela. muitas vezes andamos por aí sem a termos bem definida. concordo com o que disseste, temos que nos conhecer bem, para definirmos o que é a estrela para nós. pode ser uma pessoa em particular ou pode ser antes disso o conhecimento do nosso "eu".
falando por mim, acho que todo o nevoeiro que me tem cercado começa a tornar-se menos denso. espero conseguir começar a ver-me melhor (essa é a actual estrela que eu quero agarrar) para ganhar um pouco de paz e acabar com esse cansaço de que tu, flor, falas.
tenho que voz dizer que a "teia" que me tem sustentado e que me tem ajudado a me encontrar tem sido as amizades/relações que no meu passado recente têm surgido.
concordo com o que a arcoiris dizia: esta partilha de experiências ajuda. mas antes disso é necessário por um ponto final, "dar um murro na mesa" e dizer a nós próprios: chega de sofrer! está na hora de ser feliz...

tenho tido momentos muito bons que este novo leque de amizades. é um começo...

papoila disse...

o brain tem razão. o "escrever/dizer" pressupõe que pensemos sobre as coisas. isso já ajuda.
ajuda a ver o erros recorrentes que fazemos. ajuda a tentar mudar esses erros.

putty, o que andas a fazer? tb de férias?

arcoiris: outro

Putty Cat disse...

Eu cá ando, a vaguear pelo mundo da racionalidade...

papoila disse...

:)))

vou-te contar um segredo, putty. sempre me disseram que sou muito racional. diz-me a minha psi (com base nos testes que ela me fez) que acima de tudo sou racional, a ponto de amar com o cerebro e não com o coração. para mim, as emoções estavam sempre em segundo plano.

vivi até há um ano assim. há um ano atrás abri os olhos e de um momento para o outro deparei-me com um facto: estava a amar. consciente de tudo o que antes me incomodava (do ponto de vista racional), mas com uma enorme vontade de pôr isso para trás das costas e simplesmente viver aquela pessoa.

abri os olhos tarde, mas o que eu sintia/o é tão bom que, mesmo chegando tarde, penso que ainda bem que abri os olhos.

com isto tudo só te quero dizer uma coisa. por vezes é bom deixar o mundo racional de lado, pelo menos por uns momentos e em relação às pessoas que o merecem.

papoila disse...

inté. vou comer qq coisa.
chuuuaaaac

arcoiris disse...

Papoila: dá o murro na mesa e olha o futuro com mais optimismo. Precisas de acreditar ti, que podes conseguir o que desejas, deita para trás esse olhar que apesar de rir ou sorrir é sempre num tom triste. E a "estrela" que fala a rosodosventos, aparece quando menos esperares...Beijoca

papoila disse...

arcoiris:)))) obrigada, acredita que já estou a dar esse murro.

agora, possa!!!! (para não dizer outra coisa) tb tu a "bater" no meu olhar..... calma meninas...

essa estrela vai aparecer. eu sei.

rosadosventos disse...

Arcoiris, a Papoila acabou de revelar que já encontrou a sua estrela. Todavia, como olhava o céu estrelado com a visão de quem tudo quer captar, só muito tarde reparou num pequeno ponto da via láctea da vida. Soube então que aquela minúscula luz estrelar era maior e mais importante do que qualquer constelação. E como o Universo não é estático, essa luz correu com os anos ou dias... restando apenas a memória telescópica. Papoila, o cosmos expande-se e retrai-se. Quem sabe se a tua astronomia não contemplará novamente aquele corpo celeste específico? Lança a tua nave à descoberta e à conquista daquele ou de novos mundos.