segunda-feira, junho 05, 2006

Palavras

Quando li o comentário de hoje da Flôr, lembrei-me desta música.
Aqui fica para todos um excerto da letra de uma música do Paulo Gonzo

Faz-me Bem (Paulo Gonzo)

Há palavras que nos salvam,
São palavras especiais,
Que nos calam,
Nos embalam,
Que nos tocam,
Por demais.

Há que dizê-las baixinho,
Há que senti-las na voz,
Escutá-las,
Com carinho,
E deixá-las,
Pelo beicinho.

Chega mais ao pé de mim,
E repete por favor,
As palavras,
Que me faltam,

...

As palavras pouco valem,
Cada um diz o que quer,
Mas que digam,
Ou que calem,
Ou que deixem,
Por dizer.

Há palavras suicidas,
Outras que calam a dor,
Duvidosas,
Compassivas,
E as que morrem,
Por amor.

45 comentários:

Flôr disse...

Brain,será que o que sinto,se verifica?Tu compreendes-me!
E se esta letra ,tão bem se enquadra com o meu comentário.Para vocês ,casal;o "sei-te de cor",não estará mal.O Paulo Gonzo ,tem letras com "Vida"!
Resta-me a alegria de conseguir dialogar convosco.Sexta-feira,encontros de poesia aqui Ermesinde.Brain,Fernando Pessoa e a sua obra.Leituras,comentários.Se der conciliamos um café com um pouco de noite enriquecedora.Bjs

Brain disse...

Flôr,

"Sei-te de cor" é uma letra que eu enviei à minha esposa, no primeiro momento em que a ouvi. ;)

Flôr disse...

Mesma linguagem :)

Flôr disse...

Mesma linguagem :)

Brain disse...

Flôr,

Parece-me que tens criado sobre ti mesma um certo "misticismo".

É claro que eu te compreendo, mas isso também não é TÃO difícil assim!

O que eu penso, é que tu falas muito com o coração, com "os sentimentos" e se "analisada" desta forma não és difícil de entender.

Tu não te percebes a ti própria?
Então, não é tão impossível assim, certo?

papoila disse...

""Sei-te de cor" é uma letra que eu enviei à minha esposa, no primeiro momento em que a ouvi. ;)"

Pronto!!! se eu hoje não me consigo concentrar no work, "fui ao ring" com estas tuas palavras!...

Mas, dou comigo a pensar. Conhecer assim tão a fundo uma pessoa, será que é bom ou mau?..

Flôr disse...

mPapoila,
Desde quando uma "extensão" de ti própria seria mau?
Não por imposição ,mas reflexo...
Isto ,a Estrela da sorte.Existem,em númer reduzido!!

Brain disse...

Papoila,

Tu sabes...
Já são 20 anos !!!!!

Se nesta altura eu não a "soubesse de cor" (e vice versa) quando seria?

Se é bom ou mau, como em tudo, depende do uso que dás a esse conhecimento.

Brain disse...

Flôr,

Estou a estranhar a ausência de uma resposta tua, ao meu comentário.

Huummmmm........

papoila disse...

oi bom dia. ontem tentei várias vezes responder-vos, mas tive problemas nos comentários. Não eram aceites...

Acho que ticaste ontem num ponto importante Brain: depende do uso que dás a esse conhecimento."

É preciso confiar, e eu ainda não consigo confiar a ponto de me dar a conhecer completamente.

beijos

Flôr disse...

Bom dia!
Brain,o meu dia ontem foi tão banal...que nem deu "corpo",a estas letras de forma a surgirem os comentários ,que raramente me faltam.
Ando com alguns dilemas interiores.
Um trio de tempos,onde passado,presente e futuro,me obrigam a definições e precisões que vou dando resposta.
Por vezes,e associando este gosto de caminhar,à minha vida.Acho que me deram um papel de guia,para algumas pessoas.
E é tão mais complicado,qunado os caminhos a percorrer,são de todo desconhecidos.Agora,galgo-os de olhos fechados e os dias a as coisas ,quase me exigem que leve os outros a trilhar esses lugares.
Mas,será "justo",ter sido empurrada para o "abismo",ter-me libertado e ser "guia" dos "malfeitores".
Que desafio dentro de mim!Crescer por dentro,seccionar-me,porque não quero perder identidade,reforçar ideias e ser fonte de alguma energia!Já senti em alguns momentos que partilhar me enfraquecia!Agora,tenho nitido,que isso me fortalece!
Que forma,que mudança!Só agora entendo,porque sofro com pequenas coisas.Pois,os meus olhos são lentes que projectam ao coração,e esse e tão atento,que tudo tem tradução.
No fundo,acabo por falar um pouco de encontro ao teu comentario.
Acho que,soube,ou tive a sorte de parar no ponto certo.Vi-me,falei-me,e estruturei-me.
Sei agora lidar muito melhor comigo.E ,caminho ainda a aperfeiçoar,não desperdíço energia!
Agora,reservo o que o coração me diz,e falo para ele;sempre que é preciso ser mais racional e menos sentimental.
Olha,que dizes que "não é TÃO dificil,entender-te";e eu conheço tão pouca gente que consiga.
Exigente!Distraída!
Um bom dia para todos

Brain disse...

Bom dia a todas.
(não vale a pena continuar a mencionar o masculino, porque por aqui, o único homem sou mesmo eu :)

Papoila,

Falas numa coisa muito importante: confiança.

Essa confiança, no grau a que tu te referes, é muito difícil de conseguir.
Em adulto então, depois de algumas "experiências", ainda pior.
Das duas uma, ou o fazes de uma forma absoluctamente "cega", em que não questionas, ou não mais o conseguirás atingir.

MAS, não concordo contigo numa coisa: "...não consigo confiar a ponto de me dar a conhecer completamente".
Na minha óptica "muito particular" de ser e de estar, penso que não é necessário dares-te a conhecer.
Quem quer e tem interesse, consegue-o, sem que tu faças por isso.
Mas reforço o início da minha afirmação, isto é na MINHA ÓPTICA, que é muito particular.

Para além disso, tudo reside na forma como tu possas encarar as situações.
O que tens a perder por te dares a conhecer?
Que possiveis riscos corres com isso?
Será melhor as pessoas conhecerem-te verdadeiramente, como tu de facto és, ou será melhor criarem uma imagem de ti, que eventualmente possa não corresponder à realidade?
Eu, "aposto" na primeira (se assim não fosse este blog não existia, não é?)
Se alguém não gostar, ou fizer mau uso dessa "informação", é porque não te merece e então, há que partir para outra.
Podes pensar que isto é fácil de dizer, mas não é de fazer. Acredita, quando temos uma convicção em que acreditamos profundamente, TUDO É POSSÍVEL, inclusivé aquilo que nos possa magoar e corroer.

Fiz há uns tempos um post, que falava de medos e vontades, ao qual tu fizeste um comentário excelente e afirmaste que utilizavas os medos de uma forma positiva, em teu benefício. Faz com que a revelação do teu verdadeiro "eu", jogue da mesma forma em teu proveito.

Beijo.

Flôr disse...

Tenho receio de comentar algumas coisas,porque posso ser demasiado invasora ,porque conhecer as pessoas dá-me outra visão.
Ser divagar,permite-me Papoila uma opinião.
Para mim,tu tens todos os "ingrediente",receita ,até!
Mas,vais querer alterar algo,ok o desafio!
Tu vais "pecando" por não acreditares em ti,e associares a força necessária a terceiros.
Deixa as "muletas" um dia,uma semana.
Espalha-te,magoa-te,vê com atenção as mudanças.E caminha...
Oa passos que dás agora a medo,serão o carreiro de uma corrida que te levará à tua CONFIANÇA!
Quanto a esse "calcanhar de aquiles",nas relações.O peso do passado!Amiga,dificil...muito até,mas só tens uma solução.
Não são "Iguais",não estas igual,e o passado,é a tua história.
Não passes facturas para quem não as deve.Nem percas tempo a provisionar!Incobravel,definitivamente.E assim,geres o presente.
Tu podes tar mais tolerante,o "outro" pode entender melhor,e porque dar continuidade a fantasmas.
Nina,são apenas lençõis brancas a que o medo deu corpo e movimento.
Mais uma vez,usa esses teus olhos para te veres a ti própria.
Um beijo

Brain disse...

Flôr,

Agora "nós".

Dilemas interiores todos nós temos.
Pode não ser sempre, pode não ser sobre tudo, mas um facto é que os temos.
A questão, é como é que lidamos com eles.
O que fazemos para os "deslindar" e como é que isso nos influencia.

Para nós que somos pais, o papel de guia é algo que inconscientemente "escolhemos".
E penso que todos temos dúvidas se seguiremos pelos caminhos correctos.
E a maior parte das vezes, essas dúvidas assumem uma importância acrescida, precisamente por influenciarem aqueles que mais estimamos e sabermos que podem ter uma influência decisiva no futuro deles.
E então? O que fazer?
Destituímo-nos desse papel?
Porquê?
Para os proteger, ou para nos protegermos a nós próprios do medo de errar?

O desafio da "liderança" é um dos maiores que podemos enfrentar na vida.
É um desafio constante, exigente (quer na sua natureza, quer na sua execução) e no fundo, vitalício.

O desafio e as mudanças que operaste em ti própria, penso demonstrarem que soubeste utilizar de forma MUITO positiva essa "imposição" que te foi colocada.
E aqui, penso que reside o cerne do íntimo e da força de cada um de nós.
A questão não são os problemas que a vida nos reserva, não é isso que nos define (o facto de termos problemas).
E não é com auto-comiseração e questionando a eventual justiça do ocorrido que os resolvemos.
O que nos define, é a forma como lidamos com eles, como os enfrentamos e os resolvemos.
E aí, pelo que leio, saiste claramente vencedora.
Parabenizo-te por isso.
Sei que não é fácil, que existem situações absoluctamente avassaladoras, principalmente quando temos dependentes de nós "terceiros".

E quando passamos por situações destas, aprendemos que os mais pequenos gestos (alguns que até então simplesmente ignoravamos) têm significado, e isso, faz de nós pessoas "atentas" às pequenas coisas, as quais passam a ter também elas a sua verdadeira importância.
Desta forma, por vezes podemos até parecer mais frágeis, mas no fundo... no fundo isso torna-nos mais fortes, porque temos o poder da análise emocional para além da racional e isso é das coisas que em maior peso nos distingue "dos demais".
Agora, saber balancear o peso de cada uma delas, é a questão, mas esse conhecimento, a certeza da medida certa... acho que nunca o teremos.
E por isso, é importante conhecermo-nos verdadeiramente e o auto-control assume um papel muito importante.

Continua "neste trilho", porque pelo que me vou apercebendo de ti, embora por vezes possam haver algumas dúvidas (quem não as tem?) a maioria das vezes deves optar pelo "caminho certo".

Um óptimo dia para ti.

Brain disse...

Flôr,

Quanto ao teu convite, (o qual muito honestamente te agradeço) para além de vislumbrar um serão fantástico, para além dos eventuais "problemas logísticos" (pois não tenho onde deixar o meu rebento) para além de tudo o que será óbvio, existe uma outra coisa.

Este espaço, existe para a partilha pura de ideias, sentimentos, pensamentos.

Gosto de o fazer de uma forma "limpa", em que nenhum tipo de ruído interfira nas nossas possíveis intervenções.

O conhecimento físico é (na minha opinião) um desses ruídos.

Conforme tu mesma disseste no teu comentário à papoila "...porque conhecer as pessoas dá-me outra visão."

Privilegio o conhecimento do intelecto ao físico, pois é esse que nos define verdadeiramente.
Por isso, por ora, prefiro que vamos aprofundando esse e que deixemos para uma "fase posterior" o outro.

Não me interpretes mal (estou certo que não) por esta atitude.

Para já, não vamos alterar os moldes em que algo, como o é este tipo de "relação", corre tão bem.
Não vamos dar hipóteses à ocorrência de nada que possa interfir de uma qualquer forma menos positiva.

Vamos continuando a encontrar-nos, por aqui e a dar o "melhor de nós".

Flôr disse...

Passava o dia a escrever!
A temática do "guia",vai além da falada.
Vou partilhar:
Ontem,e jé vinha a prever que algo se iria passar,fui confrontada com ...uma personificação real!!!
Pedra,seria talvez uma adjectivo a aplicar a "Ele".Pela diferença de linguagem,mas essencialmente por não ver.Porque a comunicação é algo que se faz de tanta,tanta forma!! E ontem,frente a mim,"Pedra",com movimento com coração...fala-me.
"Vi que continuas igual!Não mudaste nada.E isso faz-me pensar que a culpa é minha".
Como não fosse dificil ouvir isto,acresce a ideia,de não ser possivel muita aproximação,etc,etc.
Fiquei despedaçada!!!Tssstttt por completo.E Brain,não foi o coração...Fui ver ,que a graça de se "iluminada pelo sol",não é para tosos.
E eu fui priviligiada!!!
E doi-me ,o obriga-me a pensar...
Tenho uma obrigação...ensinar,e dar Luz....
E que dificil,porque baseada,num comentario a mim propria,terei de ajudar,quem me marcou!!!
Ironia!?Desafio?!
Reconhecimento da minha maturidade?
E depois,fiquei a pensar em mil e a mil...E relembrei,quando em criança apanhava conchinhas na praia.As bonitas,pintava-as,colocava nos vasos...mas...As menos bonitas nunca as queria deitar fora!
E aqui esta,esta "Pedra",obstaculo do meu ser,marco da minha vida.Teve agora "olhos"!E deve ser custoso a quem não de flores,oferecer-lhe o mais belo jardim!

Putty Cat disse...

Bom Dia, meninas e menino!

Esta aqui a ler os v/ comentários (em silêncio) e até nem ia fazer nenhum comentário, MAS obrigaram-me a fazê-lo.

Brain, discordo completamente contigo, (como tu já sabes) qdo dizes que devemos dar-nos a conhecer como somos, o que somos, etc, etc.
Como tu sabes, eu penso que isso nos deixa vulneráveis a 100% e isso desagrada-me.
Já o fiz e rapidamente me arrependi porque tentaram, e em certa parte conseguiram, tirar partido desse conhecimento.

Aproveitando o tema do Paulo Gonzo "Sei-te de Cor": Não acredito, não concordo, não pratico.
Uma vez alguém me disse, que eu tinha um pequeno mundo dentro de mim, onde ninguém entrava, ninguém conhecia.
E é verdade. Ninguém tem a chave pq ninguém a pode ter.

Beijo

Flôr disse...

"a quem não entende de flores..."
Não menos ironia,ser eu agora uma Flôr :))

Putty Cat disse...

Além de tudo, qdo alguém te conhece por dentro e por fora, como poderás surpreender essa pessoa?
Impossivel.

Flôr disse...

Putty Cat...
Tens ,e desculpa,doseado não muito bem esses temperos!!!
Como queres conhecer se te escondes??Qdo surge a dúvida o receio,etc...deixas de ser natural,de te mostrar,e reages...escondeste!
Queres "ir à guerra",mas só com o melhor batalhao!!!
E porque não te defendes apenas por instinto???
Não será dar o "ouro ao bandido"!Mas porque labirintos,quando a linha recta leva-te a mais tempo para conhecer....
Quanto à letra do Paulo Gonzo...
Apaixonaste facilmente?
Eu sou uma tonta que adoro andar apaixonada...e talvez porque e quem me dera (heteronemos),vivo paixoes,alimento a alegria e a força que bem desse estado de graça.E porque tenho um ideal de ralação,Onde o barro será a amizade,que com pingas de amor,faz o mais belo par!
Entendo e suscrevo-me.Acredito nessa existencia,e queria ter igual!!
E mundo dentro de nós!!!
É verdade,teremos um cantinho...de onde sempre solta um olhar doce ,carente e desesperado...Esse desespero,será na tomada de consciência ,de um esconderijo,à parte do nosso ser que teve medo,o parou...
Não se é só feliz,ou infeliz,com alguem!!!A vida é tão preenchida!!!
Porque não vemos que nos desviamos tantas vezes o rumo!Por vezes são mais umas voltas.Mas pode ser também o desencontro.
A chave que guardaste...sabes ainda onde?Vai buscar,sai de ti Nina.Só seras completa se vieres toda!
Um beijo

Brain disse...

Putty,

Até que enfim que te ouço!

Estava a escrever uma resposta e a Flôr adiantou-se.

Flôr, subscrevo-te a 100%.

Quanto à outra parte, digo-te o seguinte: Quanto melhor começo uma pessoa, mais a posso surpreender!

Brain disse...

Putty,

Como forma de "remate", deixo-te aqui o que "alguém" tem no seu perfil:

"Para ser grande sê inteiro:
Nada teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa.
Pôe quanto tu és no minimo que fazes.
Assim, em cada lago a lua toda Brilha porque alta vive."

:)

papoila disse...

oi. vim cá espreitar...

quando fiz aquele comentário pequei por defeito... não sou de escrever/falar muito...

tenho consciência que muitos muros que tinha à minha volta cairam, no passado recente. admnito que não por vontade própria, mas apenas por falta de forças para os manter.

perguntam-me: por falta de forças?

sim. nesse passado tinha-os como forma, errada, de me defender (não sei bem do quê? talvez medos infundados).

agora, penso: ainda bem que cairam!

só que, flor, depois dos muros, poderão ter aparecido as "muletas".

estou, assim, na fase de aprender a andar sozinha. tudo leva o seu tempo...

tenho consciência e tenho que vos dizer que nas duas últimas semanas, tenho tentado deixar essas muletas. eu conheço-as bem e se calhar as muletas a que eu me refiro, não são as de que tu falas, flor. ou se calhar são...

não interessa, o que interessa é que eu tenho consciência de que elas existem. tb não acho mal nenhum nisso, apenas temos que lhes dar o uso correcto...

eu aos poucos chego lá.

a vida corre muito rápido e por vezes, quando da-mos por ela, temos que reaprender a viver.

dar o salto e sair do "musgar na vida" (desculpem o termo, tb o acho muito forte, mas é isso que muitas pessoas fazem, acomodam-se a tudo, mesmo à infelicidade). dar o salto e passar a viver, a fazer o nosso destino.

não é facil reaprender a viver. aos poucos chegamos lá...

Brain disse...

Papoila,

Estás no teu melhor!

Continua, é fantástico ver como tens "evoluído" ao longo do tempo.

Não é fácil, (acredito e sei-o) mas no "final", revelastes-te uma lutadora, disposta a lutar por aquilo que neste momento, penso ser o mais importante: POR TI MESMA!

Beijo sentido,

Brain disse...

Flôr,

O que te referi, foi a título de exemplo.

No entanto, penso que se encaixa perfeitamente.

A filosofia, o cerne da questão, continua lá no meu comentário.

Putty Cat disse...

Flor

Não é bem assim. A tua interpretação do que disse não é mais correcta.
Qto ao facto de me apaixonar facilmente: Não. Sou uma pessoa muito dificil de me apaixonar e em 26 anos de vida apaixonei-me uma vez (de verdade).
Estou a falar APENAS de pessoas, pq de resto sou apaixonada por muitas, muitas coisas.
Qto ao facto de "dar o ouro ao bandido", discordo. Já pensaste que o posso apanhar desprevenido? E é isso que eu faço. Qdo ele menos espera, lá está a gata de unhas de fora, percebes?
Eu não estou metida em nenhum casulo, nem sou nenhum bicho do buraco, mas sei guardar para mim o que acho que devo para mais tarde usar na/da melhor altura/maneira.
No fundo o que guardamos para nós é a melhor arma de ataque/defesa.
Agora, não estou a generalizar para todas as situações, subentenda-se.

Putty Cat disse...

Brain

Não "puxes" por mim....!
Não me estás a perceber, mas deixa lá!

papoila disse...

putty, como te compreendo...

tb pensei logo nisso: se alguém me conhece a 99% como eu a vou surpreender?...

brain o que disseste foi: "Quanto melhor começo uma pessoa, mais a posso surpreender!" é diferente do que a putty disse.

um tenho medo e assumo que há um cantinho, para não dizer um enorme espaço, só meu. nunca ninguem entrou. estiveram quase a entrar, mas saltaram fora.

conclusão: agora maior é o medo.

tb admito que essa minha disponibilidade para deixar entrar fez-me sentir algo que não conhecia.


se fossemos todos iguais que mundo seria este?...

papoila disse...

vou almoçar.....

beijos

papoila disse...

ainda não fui almoçar... vocês não me deixam.. hehe

brian, obrigada. mas das palavras à acção vai muita distância e por vezes falo mais do que faço...

beijocas

agora vou mesmo...

Flôr disse...

Papoila,
Espero que me entendas.Eu alem de gostar de te "picar",tenho que te dizer aquilo que te gosta ver.Porque eu tenho consciencia do teu potencial,acredito que teras o que queres!E mereces..muito mesmo!!
Quanto ao que digo,ao que faço...
"Não sou nada
Nunca serei nada
Não posso querer ser nada
À parte disso tenho todos os sonhos do mundo"
Bjs

Brain disse...

Putty,

Minha opinião:

As "coisas" na vida não têm de ser assim!

A questão reside em dois pontos distintos:
1. "...sei guardar para mim o que acho que devo"
Se calhar o que achas que deves guardar para ti, são coisas demais!

2. "...arma de ataque/defesa"
Nem tudo na vida é uma batalha e se encarares as relações inter-pessoais como não sendo uma delas, se calhar, obterás mais rendimentos do que dividendos. Se calhar sim!

papoila disse...

flor, compreendo-te.
brain, compreendo o que dizes à putty, mas por vezes a experiências que vivemos fazem-nos jogar à defesa...

fui!!!!!!!!

Brain disse...

Papoila,

Pois é, mas temos de começar por algum lado e começar pelas palavras, já não é nada mau, porque para as escrever ou dizer, temos de pensá-las.

O fazer, é o passo seguinte.
É mais um passo...

Mas a tua evolução, até nas palavras, é notória.

Putty Cat disse...

Flor

Tenho na minha memória, quase desde sempre, esse poema do FP.
Vês, aí está algo poelo qual sou completamente apaixonada.
Liiiiiiiindo.....

Brain,

A vida é uma "guerra" e uma "selva", mas não para todos. Por isso é q o Mundo anda desiqilibrado. E tu sabes disso.
Qdo damos por nós já estamos metidos em diversas batalhas.
Por vezes ganha-se, por vezes perde-se...

PJ: e eu porto-me bem, mas só às vezes ;)

Putty Cat disse...

Brain,

"sempre de pé atrás"

Já devias saber...

Putty Cat disse...

Agora quem vai almoçar, sou eu...Bon Apetit

Brain disse...

Putty,

Nós temos SEMPRE opção!

Virar as costas a uma batalha por ela não ser merecedora do nosso "esforço", não é o mesmo que "desistir" dela.
Não é "desonroso".

É dizer firme e bem alto: "Isto não é merecedor sequer do meu dispêndio de atenção, quanto mais da minha energia!"

As batalhas não têm de ser ganhas, só porque nos são impostas.

Nós temos SEMPRE opção!

Pelo facto de eu saber "determinadas coisas", não implica que eu concorde com elas, não é?

Quanto a mim, todos merecem o benefício da dúvida, até prova em contrário.
É arriscado, eu sei, já sofri muito com isso, é certo, mas não deixo de ser assim, porque acredito em primeiro lugar que tudo e todos temos um lado bom, positivo e é esse que eu penso que vale a pena conhecer e explorar.

O resto... só faz história.

papoila disse...

Há quem tenha no pc a seguinte frase:
"Põe o teu melhor sorriso, mulher!!!"

eu vou por:

"Isto não é merecedor sequer do meu dispêndio de atenção, quanto mais da minha energia!"

beijos, vou workar... até já

Putty Cat disse...

Pois no meu pc, eu tenho:

"Eu sou o tamanho do que vejo...
e não o tamanho da minha altura."

FP

Este passou a ser o meu lema.
É simplesmente perfeito, não é?

Putty Cat disse...

Brain

Como podes afirmar que temos SEMPRE opção....
Nem sempre, my dear friend, nem sempre.

papoila disse...

é perfeito putty, e quanto mais conseguires ver, mais perfeito ele se torna.

******

eu neste momento preciso de algo mais forte, que me abra os olhos e me acalme a minha impulsividade.

Flôr disse...

Boa tarde,
É uma delícia este "quarteto"...
Penso que disse isto à Papoila,há um tempo atras:Não lutes contra a tempestade,dexa passar e depois retomas...O que implicitamente,leva ao não desperdiçar energia.Defesa,precaução...e tempo...
Quanto aos pontos de vista..da Putty e da Papoila,acho...que estão a "defenderem-se "delas proprias,a conterem-se e a "empurrar"um resultado para o "depois".
Todos,sabem falar onde se perdeu,onde se mudou.foi por isto,por falta daquilo...
A constatação e o levantamento das questões,de forma mais clara,menos,é fácil de fazer.
Mudar,"anular",retomar direcção;aí sim a dificuldade,nunca a impossibilidade!!
No meu trabalho,para anular determinado lançamento,sirvo-me de duas opções:
1)dentro de determinado periodo,é fazer delete.Apenas um salto na sequencia numerica e anula-se.
2)É depois de algum tempo,fazer a anulação com o movimento contrario.O numero é assumido,quando se fez,outro quando se anulou.
Tempos distintos,registos de duas situações.Fazer e desfazer.E depois,vem o lançamento correcto!
Amigas,um certo açucar ,para vos desprender essas amarras.Pequenos fios,pois sintos essas almas cheias de vida!

Flôr disse...

Bom dia,
Acordar fora de horas,e espantar o sono,fez-me pegar num livrinho e pensar em nós.
Assim,hoje a minha presença será desta forma:

"que poema chega
para viver um verso
que existe e não vem
que chega sem rima
dizendo que poema
é a própria vida"
(Leonor Xavier)

papoila disse...

bom dia!
Continuas a acordar cedo, flor?!
hoje o meu dia já começou com o meu principal foco de tensão a actuar....
já coloquei no pc aquela tua frase brain. eheheh
vamos lá workar, pq é para isso que nos pagam...
bj