quarta-feira, julho 19, 2006

A nossa "história"

Todos nós temos a “nossa história”.

Alguns com uns caminhos mais ardilosos do que outros,
Com mais passagens do que outros,
Mas todos a temos.

Essas histórias,
Têm em comum uma coisa:
Não são vividas sozinhas.
Existem sempre “mais personagens”.

Só que o papel que essas personagens (incluindo nós próprios) desempenham,
Não está pré-escrito.
É “livre”,
Tendo todos a hipótese de
Optar por quais os caminhos que quer seguir.

Por vezes,
Essa hipótese de opção,
Não está visivel a olho nú.

E por isso,
eu penso que dos maiores desafios de vida
Fazem parte:
- Vislumbrar as opções,
- Saber (com coragem) optar,
- Assumir de forma frontal as nossas opções!

24 comentários:

Flôr disse...

"querido diário...
hoje foi mais uma vez surpreendida pelo acaso.Encontros e desencontros,memórias ,riso e choro,de tantos dias que compoem a minha existência.
Hoje,escrevo nesta página a alegria que senti ,quando num passeio na praia,te vi sentado a ver o mar...E um dia e outro..."
Pois bem,este pequeno texto,seria uma página vulgar de um diário de alguém.
Eu escrevo,aqui desta forma.
Hoje venho mais uma vez a este espaço.
Espaço de alguém,que se deve sentar a ver o mar,mas que também é "mar",para quem aqui passa!
E este teu texto,não será mais que uma fusão de todos outros,onde vamos a um ou outro pormenor.
É fabuloso,como a partilha,o testemunhar vida,que todos nós fazemos,é tão importante.
Tu pareces único!Mas sei que não és.És especial,pois defender e agir na mesma "nota",é tarefa dificil.
Todos,apreciamos a tua postura,reforçamo-nos com as tuas palavras.
E isso é o melhor de cada post.Não precisamos de motivos expressos para vir aqui,mas depois todos direccionamos comentarios,e completamo-nos,nas divergências e convergências naturais.
Ter história e fazer história.
É muito gratificante,que alguém tenha esse "dom" de se dar aos outros.
Falo aqui,como se fosse para um diário,no sentido de não me esconder,de vos ouvir.
E ouvindo a história que sempre vivi na primeira e ÚNICA pessoa,a ser relatada por um "tu",alerta-me e aproxima-me.
Todos nós temos uma "história".
Contas-me a tua?
Admiro-te muito.Bj para um SER ESPECIAL,tu Brain.

Brain disse...

Flôr,

Como é óbvio, é-me impossível ficar "indiferente" a este teu comentário e não te responder nada.

Especiais todos nós somos.
Somos especiais para nós próprios e para uma série de outros, que fazem a diferença na nossa existência.

A "história" de cada um, acredito ser construída pela próprio, conforme o demonstro neste meu post.

A minha "história" é similar a tantas outras, com picos de momentos, de sentimentos, mas o que me esforço por fazer, é que a maioria deles, se situe próximo do pico dos positivos, porque acredito que assim, é que vale a pena, "escrever a nossa história".

Beijo agradecido e retribuído.

papoila disse...

parabéns florzita!!!! parabéns piratita!!!

nas duas últimas noites andei a saltar de hospital em hospital. primiro a mais nova, depois a mais velha.

com esta fiquei um noite lá, ao lado de dois bebés.

um ainda não tinha dois meses... muito pequenino. lindo e uma mãe desesperada a olhar para ele... não era grave, mas é doloroso, com apenas com um mês de vida, ve-los entubados e ver os pais sem nada poderem fazer.
foi operado enquanto lá estive. regressou bem, ao lado de um pai cansado, preocupado mas já com um passo dado: o filho tinha voltado do bloco.

deviam te-lo visto a beijar o bebé quando a enfermeira lhe disse que menino ía para o bloco... naquele momento a vida dele, pai, estava alí nas suas mãos...

o outro bebe, dois anitos no máximo, já tinha sido submetido a várias intervenções. tinha um problema no cerebro. não percebi bem o que era, mas a mãe, estava alí segura a transmitir sorrisos aos outros pais. sentia-se que já andava ali há algum tempo...

parabéns a todos os pais!!!! parabéns a todos aqueles que apenas com um sorriso, um olhar cumplice, um polegar erguido de "boa sorte" vão aguentando-se neste prazer que é ver os filhos crescerem!

as minhas já estão a recuperar. nada de grave.

Flôr disse...

Por vezes ,faz-nos falta umas passagens e paragens por estes sitios.
Tudo se inverte!Passamos dos "piores",aos que por respeito e legitimidade ,nem devemos abrir a boca.
Esta sorte,de ver os Filhos com saúde,de termos força e meios de os acompanhar.É uma sorte!
Tanta mãe desesperada!Que dor perder um filho!
Mas existem sempre os opostos.
Teremos de saber valorizar esta sorte,e não ser egoísta.
O olhar é muito a direito,nesta correria dos dias,mas o saber olhar para o lado,engrandece o ser,e atenua alguns dos males.
Saibamos valorizar tudo o que não temos!Não temos doença,desemprego,solidão,desespero,e "miséria".
Se soubermos fazer esta observação,seremos felizes.
Temos tudo ue nos faça viver!
Certamente Papoila,que o teu problema quase desapareceu,perante esse cenário.
Sabem,tive e tenho vontade de fazer voluntariado.
Pensei no IPO-crianças.Tenho ainda pouco de receio por ter os piratitas pequenos.Mas fascina-me esse lado da humanidade.
Ser para os outros!

Brain disse...

Papoila,

É bom ouvir-te de novo, ao fim de já algum tempo.
Espero que esteja tudo bem com os teus rebentos.
Beijo grande para ti e para elas.

papoila disse...

tenho andado ausente, brain...

em casa "não" consigo ir para a net. falta de tempo e alguma disposição.

aqui por vezes as coisas complicam-se...

mas sei que não são estes os verdadeiros motivos.

ainda há pouco tempo em conversa dei-me conta do meu passado, da minha história. por vezes aos olhos dos outros as nossas histórias têm um encanto, demonstram uma força e coragem que os nossos olhos não detectam.

concordo com as últimas frases deste post, decidir com coragem e assumir as consequências.

por vezes corremos a vida ao sabor de um vento que não é o nosso. simplesmente deixamos andar.

até há pouco tempo considerava-me uma menina, mesmo com filhos não me via crescida, adulta. agora sei de onde vem essa sensação: não era eu que decidia o que queria para mim. deixava as coisas andarem. decidia o dia a dia, mas os vectores da minha vida não existiam.

agora tento demarca-los, no meio de muito daquele medo que me envolve. mas é difícil. é difícil não deixar que esse medo nos paralise. parece que voltamos sempre a fazer os mesmos erros, a ter as mesmas atitudes.

Flôr disse...

Bom dia,
Querida Papoila,Se soubesses o quanto me agrada ler-te.
O quanto sinto ,a diferença em ti,desde as primeiras conversas que tivemos.
Eu sempre te disse,tu tens potencial.
Ao ler o teu comentário, lembro-me também da minha história.
Erro,imaturidade,falta de "sujeito",foi tudo o que tive nesta mudança de vida,a idade adulta.
Nunca planifiquei nada,tudo foi uma sequência de acontecimentos.
Frio,morno,e ali me deixei andar!!!
Vegetei!Caí nos meus próprios pés.
Mas isso,as falhas,são quase sempre fáceis e acessiveis de qualquer pessoa apontar.
E depois?O reagir,o cair ,levantar,e assim sucessivamente!Aí sim,coragem e determinação,e até grandes motivos para nos fazerem andar.
Agora a parte Papoila,que adoro;vida nova,e lutar,e a dizer:"parece que fazemos semre os mesmos erros"
Sabes o que isto significa?sabes a parte interessante desta frase?
Não interessa a 100% se o resultado é o melhor,interessa que estas a fazer por ti.a combater medos.
Precisamos de acção.Ponderados,comedidos,a viver e a optar conscientemente.
Um bom dia para todos.
Andarilhus,correu bem o dia de ontem?

Brain disse...

Papoila,

Por vezes a apatia significa "conhecimento".

Por vezes, quando tomamos consciência em pleno da nossa realidade, atingimos um marco. Porque até aí, corriamos atrás disso, sem que por vezes disso nos apercebecemos.

E como em tudo, quando atingimos um determinado objectivo, uma de duas coisas é possível de ocorrer:
- Ou temos um novo objectivo para "correr atrás";
- Ou caímos no "vazio" do objectivo.

Se for o segundo caso, ficamos como que apáticos e questionamo-nos: "e agora?"

Eu digo-te que "agora", nesses "agoras", é imperativo nós próprios estipularmo-nos um objectivo e envidar "todos os esforços" para correr atrás dele.
E é neste ponto, que tomamos as rédeas da nossa existência, que assumimos o nosso próprio controle e deixamos para trás o tempo de meninos e nos tornamos adultos.

Agora, como já disse anteriormente, inerente a toda e qualquer decisão, existe uma dose de risco, que faz destacar-se em nós aqueles "medos".
Mas eu não me esqueço da resposta (na altura para mim surpreendente) que deste ao post "Medos e Vontades" e acredito, que na tua forma de estar, tenhas a força necessária para colocar em práctica o que lá afirmas.
Acredito, que consegues (quando queres) vencer esses medos e avances.

Quanto a ter as mesmas atitudes e cometer os mesmos erros, isso, conforme bem dizes, poderá estar inerente aos medos, que nao te deixam agir de forma diferente.

Se as tuas histórias têm mais "encanto" aos olhos de outros, recorre a eles, e tenta descobrir a origem desses medos.
Assim, ser-te-á possível, combatê-los de forma eficaz, ou seja, pelas suas bases.
Se não o fizeres assim, eles serão como uma árvore, que sendo podada todos os anos no topo, volta a desenvolver a sua copa; já se fôr cortada ou arrancada pela raiz...

Mas sabes, pelo que conheço e tenho ouvido de ti, acredito que se trate não de uma situação permanente, mas mais de um estado de espírito "momentâneo".

A tua questão, a tua verdadeira questão, se me permites dar-te a minha opinião, é que vives muito de momentos. Alguns bons, muitos maus.

Penso que tens de definir para ti própria as tuas metas, com os marcos intermédios, MAS sem pressas.
Define-os com a calma e limpidez das águas que correm pelas pedras que costumas vislumbrar.
Define-os, enquanto passeias por entre a natureza.
E não deixes que se desenvolvam dentro de ti, sentimentos de alguma forma depressiativos sobre ti própria. Sabes o que és, o que vales e o que podes conseguir. Se analisares o teu passado recente, facilmente aferes isso.

E lembra-te da frase que disseste que irias colocar no teu monitor: "Isto não merece sequer o meu tempo, quanto mais o meu esforço".

Bj.

papoila disse...

oi brain, tenho que confessar uma coisa, aquela resposta que te dei ao post "Medos e Vontades" resultou de conversas com a psi e é um conselho dela. não da minha autoria. tento sempre lembrar-me de usar os medos como consciência, andando devagar para os superar e para minimizar as quedas.

gostei da tua frase: "...combatê-los de forma eficaz, ou seja, pelas suas bases. Se não o fizeres assim, eles serão como uma árvore, que sendo podada todos os anos no topo, volta a desenvolver a sua copa; já se fôr cortada ou arrancada pela raiz..."

tens razão...

Brain disse...

Papoila... sua marota!
Isso faz-se? :)
Enganar o menino? LOL

De qualquer forma, faz por te ires lembrando desse conselho.
É muito bom!

Bj

papoila disse...

:))))

Flôr disse...

Chegou a Flôr,a chata...
D.Papoila,é isso(permite-me dominar :) ),que te faz por vezes o entrave ao grande salto!
Se não tivesses,"muletas",e grande tempo,ao chegar à estação não hesitavas.Bilhete ,horário,linha e partida.E depois,paragens,saída,outro ar,nova atitude,etc.A nina,pensa na estação,mas...mas...Telefona à psicologa,pondera,dizes o que te apetece,o que te dá medo.
Micas,vive intensamente uns dias,por ti!Com a tua forç,muita ou pouca!Conhece-te!Só achas que tens força ,quando "Aos olhos dos outros" a nossa história,é até de gente com coragem.
Sabes quando os ninos dão os primeiros passos?Uns, das quedas,até retardam o começar a andar.
E tu,Micas Papoila.Ou corres,ou parece que estas nos primeiros passos.
Falar,ouvir boas teorias,precisamos a vida toda.
Mas olha lá miguita,quantos anos demorou o teu curso?
E parecia-te saberes alguma coisa qdo começaste a trabalhar?
E continuas a ir à Faculdade ouvir os profes?E até coisas novas apareceram,não?
Então,por ti tenta fazer do teu "ombro" psicologa,um reforço,uma aprendizagem.
Ganhaste corpo,asas.Agora amiga,a coragem VOA!VOA,estou aqui.Já anda cá embaixo.
Salta!

papoila disse...

flor: desculpa mas por vezes é mesmo chata.
tu tens uma posição em relação è psi eu tenho outra.

por isso por favor, acho que não vale a pena voltarmos a falar nesse assunto.

cada um sabe de si, não é!
beijos (e não estou chateada)

Flôr disse...

Antes de imaginar e ler o teu comentário,pensei :
Papoila,sei que por vezes sou "bruta",mas apetece-me dar-te aquele "empurrão".
Era isto ,e isso disse.
Quanto ao que falaste,não é minha intenção,E QUEM SOU EU?,impôr vontades.Saber o que é certo ou errado.Tento dizer-te coisas que conheço.Eu tenho dois anos de acompanhamento semanal com uma psic,eu fui por vontade própria.Mas também decidi,quando chegava.
Fico com o coração à boca ,quando falo de e para ti.Vou ter mais distancia e cuidado.Não estou "melindrada",acho que com toda a subjectividade que os assuntos revestem,devo-te esse "respeito".
Fala-te sempre uma Amiga,e disso não duvides.
Bj Flôr

papoila disse...

eu sei flor, por isso é que te respondi.

se não existisse amizade não te respondia. (mandava-te para aquele lado baixinho....)

***

Flôr disse...

Bom dia,
Teremos algo de novo hoje Brain?
Preciso de:
Uma brisa de mar,para aliviar cansaços.O sol,brilhante na minha vida.
A vontade de partir para uns dias de conversa interior.
Férias do quotidiano,encontro comigo.
Acordar no meu pensamento,traçar novos objectivos!

divina disse...

Olá Brain,

Bom seria que a nossa história começassecom "era uma vez" e terminasse "foram felizes para sempre" seria o ideal mas infelizmente nem sempre é como no conto de fadas.
Na minha história tive que fazer algumas opções outras foram me impostas, algumas há que me arrependo outras que me orgulho, assim será com muitas pessoas nas mais diversa areas.
Se me fosse concedido o poder de escrever a minha história não haveria passagens menos boas, mas elas estão lá, tenho que saber viver assim e tentar contornar e ultrapassar se possivel for, há dias e dias....
Se tivesse o "dom" escreveria um Final Feliz para todos.

beijos

Brain disse...

Férias flôr?

Flôr disse...

Ainda não!Primeira quinzena de Agosto.

Putty Cat disse...

Boa tarde a todos,

Não poderia ir de férias, sem deixar um beijo e um abraço a todos os "coabitantes" deste espaço.
Regresso dentro de 3 semanas e na esperança de vir com um ar renovado, espirito limpo, coração e amor reforçado.

Estive sempre de olho ;)

papoila disse...

boas férias putty!

diverte-te

Flôr disse...

Bom dia,
Muita calma neste jardim.
É sempre agradável,passar por cá.
Boa semana para todos.
Brain,tudo dentro da normalidade?
Um pouco,"out" ou impressão minha?
Espero esteja tudo bem.
Perfume

Brain disse...

Bom dia Flôr,

Sempre por aqui :)

papoila disse...

oi, bom dia...

mais um fds que passou, mais uns dias a fazer a nossa história...

****