sexta-feira, setembro 22, 2006

O Amor

O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de *dizer.
Fala: parece que mente
Cala: parece esquecer

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pr'a saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar...

(Fernando Pessoa)

9 comentários:

Kitty disse...

Bom dia

Como diria alguém, vale mais um olhar, um gesto, do que mil palavras.

Contudo é preciso ter a capacidade de saber interpretar esse olhar, "ler" o que está por trás dele, o que nem sempre é fácil.

Mas efectivamente quando se consegue "sentir" esse olhar, esse gesto, o Amor está no ar...

Eu por vezes tenho alguma dificuldade neste "sentir", sou algo distraída quanto a pormenores, mas consciente de que os pormenores são importantes. Por isso Brain, este post (apesar de como sabes, não ser grande fã de Fernado Pessoa)trás para mim uma mensagem: Falar menos, olhar mais e sentir mais.

Beijos

Putty Cat disse...

"Prefiro pequenos gestos a grandes palavras"

Já diria alguém !

As palvaras de nada valem se não forem postas em prática.
E é isso que o ser humano precisa.
Sejamos mais "institivos" e menos "racionais".
Sejamos loucos saudáveis. Sejamos audazes. Sejamos surpreendentes.
Sejamos inesqueciveis.

papoil disse...

boa tarde

boa meninas!

papoila disse...

isto hoje está a custar...
segunda-feira, fds inteiro só eu e as meninas... nestas alturas nem tempo tenho para pensar sobre amor/actos/palavras..

por vezes as palavras dos outros sufocam
por vezes são os actos

Flôr disse...

Bom dia!
Este tema Amor...
Putty Cat,gostei do teu comentário;partilho-o.
Tenho pensado,sentido,vivido e talvez feito viver,esse acto onde o amor e o sentimento é inevitável.
Mas quer a mente humana,ou algumas mentes,não ser o louco "saudável" ,ou o menos "racional";e muito menos tornar as coisas inesqueciveis.
Como sabemos,por mais e melhor que seja a nossa intenção ,não temos a capacidade de mudar as pessoas.
Estou sempre a tentar mostrar,falar,fazer sentir,mas para quê?se só eu o sinto!
Tal qual os remos no barco,se não coordenar movimento,nem saímos do lugar,correndo risco da "banhada".
Hoje comento este "amor" com o coração triste...Mas uma forma de Amar é dar a liberdade ao outro e deixa-lo seguir..
Todo o pássaro que nasceu para ser livre não pode viver em gaiola.Porém ,não poderá culpar ninguém,de não ter essa casinha,numa outra casa!
Feliz de quem tem capacidade de Amar!E poucos conheço a tê-la!
No meu "universo",talvez aponte o dono deste cantinho,pois revela essa capacidade nas diferentes vertentes.

Andarilhus disse...

Dificuldade suprema essa de se "amar" e saber ser-se "amado".
Por vezes, o querer é tamanho que não encontra o meio cabal para lhe dar expressão significante: o tremelique em lugar da firmeza; o gaguejo no lugar do discurso polido. Mas, enfim, fica sempre o olhar, que pode piscar, mas dificilmente consegue mentir.
E no silêncio gotejam palavras intermináveis que superam qualquer embargo, provocado por tanta emoção.
Julgo que a interpretação dos sinais não é dificil, porque é desejada...
"(º0º)"

Flôr disse...

E quando o desejo,influência a interpretação?
Sim, amigo!
Porque ou me enganam muito,ou sou péssima a interpretar.

Andarilhus disse...

Flôr: Não sei se te enganam ou se te queres enganar a ti mesma. Isso só tu o poderás decifrar.
Quanto ao desejo, ele, de facto, pode ser um pau de dois gumes: ou clarifica ainda mais a comunicação do sentimento de "amor"; ou pode turbá-lo, puxando para âmbitos exclusivamente sensoriais... Mas, ao certo, ao certo, não sei. Este é um assunto mais do foro "eu sinto" do que do "eu penso"...
Faz-se o que se pode e o que o compromisso emoção/razão permite...
Bjito

Flôr disse...

Bom dia!
Talvez comente as palavras do amigo Andarilhus.
Julgo,não me enganar!Tento iludir-me,que neste caso,será ter consciência de algum engano;mas torná-lo algo "transformável".
Aí ,por vezes é que corre mal!!
Continuo com a minha tristeza interior,mas com espírito de força,não fosse eu mãe e a energia tem de existir.
é bom,quando se perdem "Coisas",ter um ombro/ouvido por aqui.
Bjs