quinta-feira, outubro 12, 2006

Tu não Sabes

Tu não sabes
Quanto tempo vais poder
Dizer: "Este sou eu",
Gritar que o chão é teu,
Tu não sabes,
Que o céu chama por ti,
Quando à noite te sorri,
Quando as pétalas se abrem
Só por si,
Tu não sabes.
Tu não sabes
Quanto tempo irás pedir
Quando o sangue te fugir,
Quando o punho se fechar
Sobre ti,
Tu não sabes,
Que o sonho não morreu
Quando o beijo se perdeu,
Que a manhã não acabou
Só por nós,
Tu não sabes.

Que palavras vais usar
Quando o sono não vier,
Quando a noite te disser:
"Vem comigo".
Que loucura irás dizer
Quando a mão que te apertar
Te pedir para ficares
Só mais um dia,
Tu não sabes,
Tu não sabes,
Tu não sabes.

Tu não sabes
Quantos rios se vão deter,
Quantos olhos vão beber
Nas palavras que colaste
Junto ao peito,
Tu não sabes,
Que os teus dedos são já meus,
Que se vão fechar nos teus,
Quando os barcos se despedem
Na maré,
Tu não sabes.

Que palavras vais usar
Quando o sono não vier,
Quando a noite te disser:
"Vem comigo".
Que loucura irás dizer
Quando a mão que te apertar
Te pedir para ficares
Só mais um dia,
Tu não sabes,
Tu não sabes,
Tu não sabes,
Tu não sabes….

(Pedro Abrunhosa)

3 comentários:

papoila disse...

oi

se soubessemos o dia de amanhã...

se soubessemos o minuto seguinte...

Andarilhus disse...

... a ignorância do futuro aporta a paixão pela vida e a curiosidade da mente adivinha e do coração intuitivo.
Saber o que se segue renega o estado de fé na existência.

Kitty disse...

Tu não sabes...
Eu não sei...
Ninguém sabe...

Mas sabemos, que o melhor é viver o dia a dia
da melhor forma possível

Isto tu sabes...
Isto eu sei...
Todos Sabemos...