quarta-feira, novembro 22, 2006

Curtas (4) - Esperei

Durante todo o dia, esperei um sinal de ti.

Do rescaldo da noite, ficou o amargo da discussão.
No meu peito, um frio que paralisava o pensamento e o meu tão bem querer por ti.

Durante todo o dia, esperei um sinal de ti.

Do calor das palavras ditas em discussão, uma dor emergiu e povoou o meu ser sentimento não me deixando ter memória dos momentos anteriores a essa hora.

E durante todo o dia, esperei um sinal de ti.

Não me chamaste. Não me falaste. Não quiseste fazer-me sentir, que o nosso amor é mais que um orgulho e que o teu sentir do nosso amor, é para ti bem mais que uma troca de razões.

E eu, durante todo o dia, esperei um sinal de ti.

Não te chamei porque decidi esperar. Se calhar, fizeste o mesmo…
Mas eu penso que tu bem saberás que deverias ser tu a chamar-me.
Eu penso que sabes que o meu conceito de amor, tal como o que nutro por ti, é mais que uma acesa troca de palavras e está acima de qualquer tipo de discussão ou birra.
Tantas vezes to disse…
Tantas vezes to fiz sentir…
E tu sabes que podes sempre contar comigo, incondicionalmente, como o fazem os verdadeiros amigos.
Sim, porque acima de tudo e no início de tudo, está uma bela amizade que desenvolvemos em nós.
O amor… esse foi o florir de uma relação que já pedia por mais e que extrapolava até os sentidos.

Durante todo o dia, esperei um sinal de ti.

E agora, já deitado com os olhos a começarem a acusar o avançado da hora, sou invadido por uma tristeza, que me diz, que tu não me ligaste, não me deste um sinal e assim, quem sabe, marcaste o início da queda de um sentimento que em nós era tão bonito, tão simples e tão completo, por tão sincero e espontâneo.

O amor é para mim (conforme muito bem o sabes) uma dádiva constante.
Um constante dar em todos os momentos e sob todas as formas.
E o pensamento é uma das principais dádivas que podemos oferendar e hoje não foi diferente.
Todos os meus pensamentos foram para ti e com o passar das horas, a ansiedade pelo teu contacto foi sempre aumentando num crescendum que forçava as próprias paredes deste peito onde bate o meu coração por ti.

Durante todo o dia, esperei um sinal de ti, mas agora…

Agora… não mais o vou esperar!

6 comentários:

Putty Cat disse...

Ás vezes as esperas são em vão.
E às vezes uma longa espera poderá fazer nascer um (re)inicio de algo ainda mais sublime.

Esperar tb é bom. E saber esperar é uma virtude (mas não é a minha...)

Este "curtas" está liiiiiiiiiiindo!
Bj

papoila disse...

"Agora… não mais o vou esperar!"

Espero que esta frase queira dizer que esta pessoa toma uma atitude e dá ela sinal de vida.

eu não gostei muito deste curtas...

achei o personagem egoista.

Andarilhus disse...

...quanto mais se espera, afogueado pelo desespero do orgulho, mais nos deixamos dominar pelo crescendo dos pensamentos (acho que não chegam a ser sentimentos) negativos. Sei-o porque já o vivi várias vezes, embora me tenha esforçado para que tal não acontecesse. É muito desgastante e sabemo-lo, mas domina-nos como uma camisa-de-forças. E grito para mim mesmo palavras como "Peço-te tolerância à minha larga falta de perfeição; Tentarei ser perfeito na tolerância à tua falta de divindade." (Galga), mas sei que se confrontando com as circunstâncias, vou cair em tentação. Talvez um dia, consiga vencer esta minha fraqueza... assim o espero.
"(ªoª)"

Divina disse...

Há situações em que o orgulho prevalece ao amor, à amizade, à razão.... e impede-nos de sermos racionais.
Nessa altura os verdadeiros Amigos não ficam à espera, dão o sinal .... todos temos que ceder!

beijinhos

Flôr disse...

Bom dia...
Apenas vou esperando em mim,na minha fantasia sobre o que tenho ,o que queria;o meu esforço e muita das vezes a minha falta de visão.Tanto não vejo conquistas,como não espero "fracassos".
Mas ainda espero ,encontrar muitos ,ou manter-vos para pensar sempre e sentir estascoisas.EStas e outras "curtas",fazem longas mudanças e resultados de vida.
Um boa semana,Bjs especiais BRain e wife.Arco iris,não tens brilhado por aqui.
bj

Putty Cat disse...

Ontem tive um pequeno MAS grande momento de felicidade.

Fomos à Ribeira :),compramos um pacotezinho de castanhas assadas numa das vendedoras ambulantes e delicie-me ao som dos Placebo.

E nesses poucos minutos de puro deleite, pensei para os meus botões:
É preciso tão pouco para sermos momentaneamente felizes... :) e tão poucos os sabem apreciar verdadeiramente.
Eu, ontem, concentrei-me nesse momento.

Querem um momento melhor para um Domingo à tarde?

Boa (curta) semana para todos.