domingo, dezembro 31, 2006

Omissões

Há feridas que se abrem,
Com palavras por dizer.

Há feridas que se aprofundam,
Com gestos por fazer.

Há noites
Em que o cerrar de pálpebras,
Não nos fecha os olhos,
E todos os longos minutos
Que preenchem as horas
São contados.

E os batimentos,
Que acelerados tentamos conter,
Batem no peito,
Alheados ao nosso querer,
Ecoando no pensamento,
Todos um por um,
Misturando passado e presente,
Numa mescla de sentidos e quereres,
Onde a dor se revela existir,
Até no mais simples dos prazeres.

E os olhos quedam-se secos,
Por não terem mais o que chorar,
Porque a tristeza permanente,
Torna-se difícil disfarçar,
Desvanecendo o sorrir,
Até do mais profundo pensar,
Que não sabendo para onde ir,
Na dor teima em ficar.

E mesmo não a querendo ter,
Mesmo não a querendo ouvir,
Ela faz questão de o ser,
De em nós se fazer sentir.

E por vezes era preciso tão pouco,
Para a fazer desaparecer,
Mas o silêncio não deixa,
Faz questão em permanecer.

Porque se há palavras,
Que por não serem ditas nos ferem,
Há gestos,
Que por não serem feitos,
Nos abatem.

3 comentários:

Brain disse...

Assim te deixo longo 2006,
Espero que 2007 seja...

Diferente.

papoila disse...

diferente vai ser de certeza...

bom ano para vocês e para todos os que por aqui passam.

***

Flôr disse...

Diferente!será mas que diferença será essa?Eis uma pergunta e um esforço de cada um.Tudo que procuramos ou simplesmente esperamos,exigirá cada vez mais um "EU",na busca da diferença.
Não pelo negativismo,mas por um cansaço que me entristece ,por vezes paro e simplesmente observo.
Não,penso que por vezes nem issi,olho sem nada ver.Um queimar de tempo,um reforço em energia,uma busca de força.
Neste começo de ano,quero fazer de mim,um livro com folhas por escrever,onde uma vivência passada,um presente cansadito,mas um força de viver,me inspirem.
Quero palavras de amizade ,de felicidade,quero um diário dos meus tesouros,quero referir-me a vocês como pilares dessa obra também.
Um bom ano,e conto convosco.
Aprendi que recebemos tanto,de onde menos se espera.E encontrar uma boa "alma",é um acaso ,uma sorte.E eu sou uma sortuda,aumentei os amigos em 2006,que atenuou o aumento de quebra cabeças que a vida também me "ofereceu".A todos um obrigada!