segunda-feira, março 19, 2007

Ao de Leve



Toca-me nos sentidos,
Passa os teus dedos pela minha pele,
Fala-me aos ouvidos,
Leva-me a lugares perdidos,
Mas tudo…
Tudo ao de Leve.

Leva-me a um altar,
De colchão de penas feito,
Mostra-me que me queres amar,
Tocando-me assim, no peito,
Toma-me nos teus braços,
Envolvendo-me sem deixar espaços,
Explora o meu corpo,
A minha pele os meus sentidos,
Reencontra esses sentimentos
Em lugares perdidos,
Mas tudo…
Tudo ao de Leve.

Não quero juras nem compromissos,
Obrigações ou sentimentos submissos,
Quero apenas o pleno de um momento,
A liberdade de poder contigo estar,
Sem a preocupação de um amar,
Assim…
Tudo ao de Leve.

Porque há peso nos sentimentos,
Há peso nos compromissos,
Que tantas vezes se mostram falsos,
Pela força da exigência,
Da sua simples existência,
Tão mais fácil seria,
Se pudesse ser por um dia,
Assim…
Tudo ao de Leve.

Porque tu não tens de voltar amanhã,
Não tens que a isso, obrigado te sentir,
Não querendo, não precisas de vir,
Mas se quiseres, se isso te apetecer,
Podes passar para ver,
Se ainda aqui estiver, até pode ser,
Mas só se for assim…
Tudo ao de Leve.

Não quero sentimentos profundos,
Nem quero compromissos longos,
Daqueles que só nos fazem sofrer,
E noites inteiras, em claro ter.

Quero o gozo e o prazer,
Eternos do momento,
Quero a paz e a felicidade,
De o meu mundo assim poder manter,
À margem que daquilo se passar,
Só possível,
Sem a obrigatoriedade de um amar,
Assim…
Tudo ao de Leve.

E se nas voltas do vento,
Tu regressares sempre para mim,
Se nas voltas do vento,
Acabarmos por ficar sempre assim,
Contigo no vento acabarei por ir,
Contigo no vento também irei sentir,
Nesse gosto de contigo estar,
Esse sentimento a despontar,
Que muitos reclamam, mas não sabem dar:
Esse simples e Leve… Amar.

Dá-me tudo…
Quero tudo…

Mas assim…
Ao de Leve!

10 comentários:

£oµ¢o Ðe £Î§ßoa disse...

(lindo...)
É ao de leve que se sente a importancia do Amor!

Abraço
Até outro desinstante

su disse...

Dá-me tudo como se não me desses nada...entega-me o coração como se não tivesse peso, empresta-me a alma para andar comigo...ao de leve...como se não fosse nada sendo a própria vida explodindo no coração.

Curioso como os extremos combinam tanto ao ponto de se confudirem!

Lindo poema.

Beijos em fio aqui da Teia. Passa por lá sempre que quiseres "pensar"! ; )

coisas que se pensam disse...

Brain, e ainda que tarde, espero que o teu dia de pai-que-também-ainda-é-FELIZMENTE-filho tenha sido muito muito bom… e que tenhas tido a oportunidade de usufruíres quer do teu estatuto de pai quer do de filho!

Eu, por acaso, não sou pai (aliás, tenho quase a certeza absoluta de que nunca vou ser!). Sou apenas filha de um homem cujo exemplo de vida tem sido uma inspiração para mim, e cuja força de carácter fez de mim todos os dias uma pessoa melhor. Sou filha de um homem de que muito me orgulho!

E por isso, e hoje uma vez mais, uma "muito grande coisa" para o Pai do meu coração e já agora para todos os Pais do mundo que conhecem o amor incondicional pelos seus filhos!

A ti Brain!

Uma coisa para ti!

NARNIA disse...

Levemente, Suavemente... Em seda de afagos.


Fica um Beijo

Branca disse...

De forma intensa mas ao mesmo tempo suave e ternamente...
Não existe maneira melhor de entregar a alguém tudo que somos, que temos e que queremos...
Sem pressa, sem força, sem nada de especial, apenas de leve tocar...

Beijinhos...

Flor disse...

Ao de leve ,tudo se vai intensificando,o conhecimento surge,a tolerância!Terra trabalhada ao de leve ,onde tudo tem para algo crescer.
Mete as mãos na terra ,mexe ,remexe ,leve com amor.Põe de ti e em ti,tudo o que queiras ver crescer.E ao " de leve" a amizade,a paz,o amor,a viva em arco-íris.Preciso ter-te por perto com dicas e "adubos",jardineiro de almas que colhes pessoas em flor.Não fosses tu a semente mais rara que Deus me deu a conhecer.Mantem a humidade de raíz com o orgulho duma mulher que te trata,e rebentam em FLor com uma nina linda.
De Leve,muito ao de leve,ensinem-nos,a sermos tudo isso.Obrigada.Flôr

Brain disse...

Louco:Sê bem aparecido! Admiro os teus escritos. Grato pela visita. Continua por cá. Abraço.

Su:É isso mesmo! Os extremos combinam. Adorei a tua passagem. Volta sempre que eu, vou continuar a acompanhar-te de perto (como desde há muito o faço). Beijo.

Coisas que se Pensam:Que o motivo da tua inspiração perdure por muito tempo para que dele possas desfrutar. Gosto de te ver por cá... Beijo.

Narnia... Um reaparecimento apreciado, um comentário sedoso! Beijo.

Branca: Na suavidade reside o segredo da força, não é verdade? Gostei de ter novamente por cá. Beijo.

Flôr! Há quanto tempo! Sê bem (re)aparecida e que possas continuar a ser semente do florir deste jardim. Beijo.

ma grande folle de soeur disse...

Leve de compromissos e de sentimentos submissos (pesados como um fardo?)... A sustentável leveza do ser? A liberdade de poder estar contigo...Tudo ao de leve: a entrega, a plenitude do momento... Sim! Estes versos são inefáveis. Faço deles o meu hino. Tomo essa liberdade.
Bj. Lu

papoila disse...

ADOREI!!!!!

flor disse...

bomm dia,aqui vim mesmo no perigo iminente de cada fugida, respirar o ar que o nosso leque de flores deixa.Tenho saudades,de vós da minha inspiração,dos sentimentos que sem nome fosse,m me alimentavam a alma,no respirar !
Ontem tivi um bloquei,fiquei num esoaço partilahdo por 10 pessoas que já fazem parte do meu dia,e a minha mente branqueou.Mal ouvi,descconcentrei-me,não fui capaz de fazer nada a não ser permanecer ali.
Ando oprimida,e isto é reflexo,a cada manha só me lembra os comboios com destino à camara de gaz.A inocencia d quem parte,para o plano ja feito e estruturado de quem manda.desculpem!Conto convosco.Bj Pappoila,Brain a ti,aos teus o apreço de sempre.