segunda-feira, maio 21, 2007

Optei por Sorrir (Domar o pensamento – Parte II)

“O nosso lugar na vida um do outro, já está ocupado!”

Foram as últimas palavras que ouvi de ti,
Antes de virares costas e seguires o teu caminho,
Que não era o meu.

E eu,
Que fiquei na solidão daquele quarto,
Mal podia conter a fúria e a dor,
Porque acima de tudo,
Tu tinhas razão.

E seguiram-se dias de lágrimas,
Dias de dor incontida,
Dias de mágoa e incompreensão,
Dias de sol a brilhar para os outros,
Dias de tempestade, a ocorrerem só para mim.

E eu, já não era eu.
Eu, era somente e apenas,
A minha enorme vontade de ti.

E um dia que me cruzei com o espelho pensei:
“Tu não és isto! Porque estás assim?
Porque apenas choras e és cinzento?
Porque apenas lamentas o que não tens?
Porque apenas pensas nela?”

E a resposta veio simples e clara:
Eu vivia na angústia e na tristeza,
Por não te ter!

Mas porquê?

E uma vez mais,
A resposta veio simples e clara:
Porque tu,
Foras simplesmente,
O melhor que jamais tivera!

E então,
Vou viver assim para sempre?
E vou passar o resto dos meus dias,
Num lamento?

NÃO! Disse-me eu!

Se tu foras o que de melhor tivera,
Porque razão,
Apenas dor ficara?
Porque razão,
Apenas a tua despedida,
Apenas o teu adeus,
Apenas a tua ausência,
Era sentida agora?
Era pensada agora?

E então,
Recuei o meu pensamento,
Para o período anterior à tua partida.
Como quem desfolha um velho álbum de fotografias,
Recuei o meu pensamento,
Para os momentos que passamos juntos,
Para o carinho que nos demos,
Para os gestos que partilhamos,
Para o ar que juntos respiramos,
Para as músicas que dançamos,
Para os berros que juntos gritamos,
Para as loucuras que juntos cometemos,
Para…
Tudo aquilo em que,
Eu fui feliz contigo,
Durante o tempo que passamos juntos.

E então,
Ao recordar esses tempos,
Um sorriso formou-se de novo nos meus lábios,
Uma calma apoderou-se de novo de mim,
E o peito encheu-se,
Não de raiva,
Não de dor,
Não de peso,
Mas…
De uma profunda, sentida e saudável…
Saudade!

E o sorriso manteve-se.

E hoje,
De cada vez que penso em ti,
Oriento o pensamento,
Para todos aqueles momentos de prazer,
Que juntos passamos e vivemos.

E hoje,
De cada vez que penso em ti,
Revivo aquilo que de facto foste para mim:
O melhor que jamais tive!

E no silêncio de mim,
E em cada música ouvida que partilhávamos,
E em cada livro que juntos devoramos,
E em cada restaurante em que degustamos,
E em cada por do sol que vislumbro,
E em cada luar espelhado no mar,
E em cada céu pintado
Com as cores do raiar de um novo dia…

Eu sinto-te,
De facto,
Como o que de melhor me aconteceu,
E…

…SORRIO!

9 comentários:

Brain disse...

O Post de hoje, é a resposta ao desafio da "Estranha Pessoa Esta", que me desafiou a demonstrar como "Domar o pensamento".

Penso que com este post, composto por duas partes distintas, consegui demonstrar o pretendido.

Caso assim não o pensem...
Favor "reclamar"!

Estranha pessoa esta disse...

Venho "Reclamar" daqui a pouco :P

Passei a 'voar'.
Volto noutro instante, sem o pensamento domado ....

Alex disse...

intenso sentir, verdadeiro.
CONTINUA A SORRIR

papoila disse...

pois..., só agora li a parte II mas vem ao encontro do que disse na parte I..

beijos..

Estranha pessoa esta disse...

Brain Brain Brain...


..

Ainda estou a domar o pensamento a tentar sentir se as tuas 'linhas demonstram' o .. desafio!

:P

Ana disse...

Tenho uma curiosidade, achas que também consegues domar os sentimentos?

Obrigada pela visita.
Voltarei também...

Estranha pessoa esta disse...

Vim reler e sentir novamente..

Maria-treva-flor disse...

difícil comentar algo quando não se consegue o distânciamento mínimo...sorrio apenas!

Beijo*

Movimento Pela Net Mais Barata disse...

Hoje é boa altura para vir assinar o nosso manifesto por uma net melhor e mais BARATA!
Continuem o bom trabalho neste blog, está muito giro parabéns.