segunda-feira, julho 23, 2007

Curtas 10 – Palavras de um Amor adiado



Foi com tristeza que te vi cruzar a ombreira da porta, sem ter provado o sabor de um beijo teu.

Eras tu quem partia e o sabor da visão das tuas costas, ficou pendurado no céu da minha boca, como o amargo de um dia mal passado, pela ideia constantemente presente de que hoje, não te teria em meus braços.

E até as palavras, essas que em qualquer outro dia me encheriam quase por completo, até mesmo essas tiveram um sabor a pouco.
Um sabor a tão pouco, como uma pintura multicolor, de cores vivas e brilhantes, transposta para uma mera escala de cinzentos.

E foste tu que partiste e eu que fiquei. Eu que fiquei sentado nesta cadeira, no tempo suspenso, com as mãos sobre as teclas, parado, vazio de ti.

E a ideia que a seguir me assolou foi simplesmente aterradora: "E se por um qualquer motivo fosse esta a última vez que eu te vira?"

Não são as tuas costas que eu quero lembrar,
Não é este sentimento de vazio que eu quero sentir,
Não é o amargo de boca que eu quero que fique sobreposto ao sempre doce sabor dos nossos beijos,
Não é a tristeza imensa, que neste momento me povoa, que eu quero que fique,
No final de nós,
No final de um qualquer dia.

Nós somos a loucura saudável,
Nós somos a irresponsabilidade responsável,
Nós somos o doce derramado sobre o fel,
Nós somos as palavras que nunca sobram e sempre faltam,
Nós somos a alegria do e pelo existir,
Nós somos escritos, sons, imagens e sentires,
Nós somos êxtase,
Nós somos carne, pele, sentidos,
Nós somos sonho, ilusão,
Nós somos realidade vivida com alma e ardor,
Nós somos tudo! Mesmo não sendo nada...

E tu,
Furacão de mim,
Noite da minha insónia,
Desvario da minha razão,
Desvio da minha rota vida,
Paixão consentida, vivida e sentida,
Tu,
Carregas neste momento contigo,
A minha alegria,
A minha luz interior,
Todos os meus desejos e vontades,
Todo o meu querer de um amanhã por vir,
A energia que faz o sangue correr nas veias,
E deixaste ficar em mim,
Aqui,
Assim,
Apenas,
O desalento,
De um dia ter passado,
E eu,
Não te ter condignamente,
Feito sentir,
O quanto te amo!

E se a certeza do teu amanhã,
For a inexistência do meu ser,
Eu quero que saibas,
Eu quero que sintas,
Que tu pulsas em mim,
(Oh, Quanto tu pulsas em mim,)
E que és TU,
A última imagem,
Pensamento,
Fôlego,
Pulsar,
Respiro,
Que em mim ocorre,
Diariamente.
Invariavelmente!

E o futuro,
Que teimo em não querer pensar,
Que teimo em adiar,
Que teimo em fazer por não me influenciar,
Esse,
Que com verdade te digo,
Dificilmente o vejo em pleno ao teu lado,
Com a mesma verdade te digo,
Dificilmente o equaciono sem ti.
E esta verdade,
Que neste momento vivo,
Que sendo a maior contradição de mim,
É a que sinto como mais verdadeira da minha existência.

E com a mesma força que
Te desejo,
Te sinto,
Te tomo nos braços,
Te acaricio,
Te beijo,
Com essa mesma força,
Eu te digo que te Amo,
E te/me pergunto:
"O que vou eu fazer de nós?"

E o futuro não "me importa",
Os condicionalismos do presente,
Não me interessam,
Desde que…
Desde que,
Eu te possa ter para mim,
Sempre,
Diariamente,
Pelo menos,
Sob a forma de um beijo.

Isto,
É claro…
Enquanto…
Enquanto tu me quiseres também!

38 comentários:

wife disse...

Mais uma curta magnifica.

O amor não pode ser adiado, tem de ser vivido, sempre e na sua plenitude...

Beijos
TUA

Putty Cat disse...

Não há paredes
Não há tecto
Não há condicionalismos
Não há barreiras nem fronteiras
Não há linhas de fogo
Não há palavras de ordem
Não há ameaças
Não há promessas
Não há "se's" nem "ma's"
Muito menos "porquês"

...que aguentem um Amor assim.

Um Amor assim, apenas o É.
Pleno, rico, VIVO!

BRAVO, meu Querido!


Aquele beijo.

Solitária disse...

ღ Passei apenas para deixar um beijo e desejar uma boa semana..ღ

Crystal disse...

Retive a respiração...Não é fácil(nunca foi, eu sei) dizer-te o que sinto quando te leio...

"E o futuro...Dificilmente o vejo em pleno ao teu lado,Com a mesma verdade te digo,dificilmente o equaciono sem ti."

Meu Deus, como é tão fácil perceber o que dizes!!!

Vertigo disse...

Furacão és tu,quando te decides a escrever...ufaaa,está fabuloso,deixas transparecer o sentimento em estado puro..

beijinho

Alex disse...

Não sei o que vais fazer mas eu vou ler de novo esta fúria de viver, esta paixão, este ardor, este amor que te faz escrever assim.

Um beijo Brain!

Alex disse...

N�o sei o que vais fazer mas eu vou ler de novo esta f�ria de viver, esta paix�o, este ardor, este amor que te faz escrever assim.

Um beijo Brain!

24/7/07 12:25

Alex disse...

a dobrar :)))

Um Momento... disse...

.........

Não tenho palavras...
Apenas...

Vou ler de novo

Parabéns!!!!

Um beijo sentido(*)

Flor disse...

Tu és a "Amazónia" do Amor...
Quem faz do grão de areia a pedra de alicerse do monumento da Diva.
Tu és Único, e quem te tem merece-te.
Beijos para vocês!
Esta frescura do vosso amor, refresca todos que aqui passamos.
Obrigada.
Bj Flor

Maria José disse...

O ir.
E o ficar.

Aquele ficar que corta as palavras e deixa um silêncio desumano

E o desejo... de ficar e não o fazer sozinho...

Som do Silêncio disse...

Olá Brian!

A tua escrita é de facto excelente.
Este texto prova isso mesmo.

Beijo Silencioso

Lya disse...

ai bolas, que até fiquei arrepiada :))

sublime!

beijoka

Rosa Maria disse...

E tão apenas... não mais...

brisa de palavras disse...

O amor só faz sentido enquanto os dois quiserem

um abraço
brisa de palavras

Solitária disse...

Deixo um beijo de boa noite :)

mariazinha disse...

belo, Brain.... belo!
beijos

Vity disse...

Ola...

Não resisti a deixar-te um desafio ... estou curiosa ...
Passa no meu cantinho...

Beijo
Vity

por uma lágrima disse...

Não tenho palavras...
Não encontro adjectivos...
Pareço uma gaivota a sobrevoar o teu espaço...
Já entrei,li e reli tantas vezes que perdi o sono.
OBRIGADA POR TANTA BELEZA

su disse...

Sem palavras... BEM! Vou "estragar" tudo fazendo uso delas...esta curta está POTENTE. GRANDIOSA! Para quando o livro?!
: )

Sabes o que me lembrou? Um filme bem velhinho...o ALWAYS...penso que do Spielberg. O protagonista morre sem ter sido capaz de dizer à sua companheira aquela expressão: EU AMO-TE. tem como missão, após a sua morte, ser o guia da sua mulher, encaminhá-la e despertá-la de novo para a vida...não sei se o viste. Mas curiosamente lembrou-me esse filme o teu divinal texto!

Quanto às escolhas em jeito de desafio que deixaste lá na Teia...muito obrigado! Uma "vítima" bem cumpridora! :)
Nomeaste José Luís Peixoto (que curiosamente é o último post lá da Teia, com um excerto do cemitério de Pianos!), um autor excelente. melhor escritor do que jogador de matraquilhos! ;)

Bernardo Soares (mais um de Fernando Pessoa!) é uma Bíblia para as almas desassossegadas, em dias de chuva dentro da própria alma...e Júdice expoente do contemporâneo. Muito bom gosto, meu amigo!

Sem escrever e sem ler...é matar o o prazer que salva a alma...concordo 100% contigo!

Beijos em fio aqui da Teia.

gasolina disse...

Voltarei para te ler com o tempo e dedicação que me mereces.

Por agora vai ao meu canto e agarra o desafio que te lanço. Se aceitares, claro.

Um beijo, com saudade.

O Sentir dos sentidos disse...

Em cada leitura que te faço, mais encanto sinto neste espaço...;

ÉS FANTÁSTICO!!!!!!!!!!!
ÈS LINDO!!!!!!!!!
ÉS POETA!!!!!!!!

beijo,

Maria-treva-flor disse...

Um texto polifónico submrgindo das profundezas da alma em tons de confissão,faz transparecer a mestria envolvendo-me (nos) na intimidade quase paralizante,diluindo a fronteira que separa quem escreve de quem lê...deveras perturbador!


Obrigada por o partilhares.

beijo e.terno

as velas ardem ate ao fim disse...

Espectacular.

bjos

GarçaReal disse...

Lindo e triste...O partir sempre tão doloroso...O ficar de um amor...


Bj

NARNIA disse...

BRILHANTE!!!

(sem comentários)

*****

Vity disse...

Ola...

A escrita é maravilhosa como sempre...
Mas as palavras não são de alegria ... "sinto" alguma angustia ... insegurança talvez...

Insegurança ... medo que este lindo e grandioso amor se "perca" em algum momento...

As vezes é bem sentir o barco vacilar um pouco ... isso desperta-nos para lhe dar mais atenção e mais cuidados...

Que sejam felizes...

Beijo
Vity

madrugada disse...

Brain,
ao nivel a que já me habituou.

Excelente,
Brain...
excelente.

Abraço.

gasolina disse...

Brain,

Eu de novo.

Para começar achei fabuloso o facto de iniciares com prosa, quase um pensamento,e depois no discurso directo partires para a poesia pura, declarativa ao teu amor.
Frase e versos curtos como convém a quem proclama, vincando o sentido da intenção, o emissor e o receptor olhos nos olhos.

E para finalizar a estética: aquela que me faz reconhecer-te - o simples é belo.

Brain, deixas-me muito feliz.
A ti, o meu beijo.

Ima disse...

Que maravilhosa declaração de amor!

Beijo

Memórias de Um Sorriso Luso disse...

"E se por um qualquer motivo fosse esta a última vez que eu te vira?"

A incerteza é a minha única certeza.No Amor e na Vida, mas nunca penso nisso, senão, não vivo nem amo.

Take care

su disse...

As memórias têm este condão: de terem as duas faces da moeda, mas concordo contigo que ambas as faces são degraus construtivos na nossa aprendizagem de vida. Uma base que poderá estar nas justificações do que somos agora...e conseguir olhar tanto para trás...é excelente! : )

De certeza, que uma filhota rodeada das ideias que um pai assim emana só poderá ter boas recordações!

; )

Beijinhos e bom fim de semana!

O Sentir dos sentidos disse...

Voltei para mais uma leitura.
Para deixar meu beijo e meu desejo de bom fim de semana.

Que Poema Lindo!!!!! ...não me canso em repetir.

Azul disse...

Olá Brain!

Poderá parecer uma tontaria mas desde o dia em que colocaste o post que todos os dias o leio... e todos os dias saio da mesma forma... a pensar nas palavras que escreves, no sentimento que elas têm.

Estas são essencialmente as frases que me fazem parar e pensar:

"E a ideia que a seguir me assolou foi simplesmente aterradora: "E se por um qualquer motivo fosse esta a última vez que eu te vira?"

É... durante algum tempo, muito tempo, fica um sentimento de vazio imenso misturado com lembraças constantes de "nós". Mas demora... demora a tirar o vazio e deixar apenas o "nós", os momentos partilhados...

Não me canso, mesmo correndo o risco de me repetir... é simplemente sublime o que escreves e sinto um prazer muito grande em te ler.

Beijo Brain
Azul

Secreta disse...

Consegues dizer tanto neste post .
Como seria se fosse a última vez ? O que se sentiria qnd se chegasse a essa conclusão ? O que fazer ao vazio que ficou ? Hm ... o que fazer para voltar atrás e recosntruir o "momento" ? ...
Beijito.

Shelyak disse...

I n c r í v e l m e n t e bonito...
E mais não digo, é desnecessário...
Um abraço para ti!

Sha disse...

"Nós somos escritos, sons, imagens e sentires..."

Por isso volto sempre aqui!

Bjo com sabor a sha.

Milla Loureiro disse...

Tu é a poesia dentro da carne!

salve!