segunda-feira, outubro 22, 2007

Pertenças Minhas



Hoje,
As minhas pertenças são parcas.

Hoje,
Eu não sei ao que atribuir a propriedade de meu.

Talvez por isso,
Hoje,
Eu ainda não tenha acordado.

O meu abrir de olhos de hoje,
Foi apenas o tomar contacto com a luz do dia,
Porque o meu íntimo,
Continua mergulhado,
No meu silêncio.

No meu silêncio que te sonha,
Que a cada batida do ponteiro dos segundos,
Te invoca,
A ti,
Aos teus odores,
Aos teus sons,
Aos teus gestos e olhares,
Nas noites que inventamos,
Que partilhamos os nossos corpos,
Que nos damos um ao outro,
E que ficamos em cada um de nós,
Com um pouco,
De um,
No outro.

Nessas noites,
Em que o meu silêncio fala tanto por mim,
Em que o meu olhar troca palavras com o teu,
Em que em surdina clamo o meu Amor por ti,
Em que do fundo do silêncio,
Arranco a mais absoluta ausência de som,
Para com ela,
Te dar a conhecer,
De forma clara, inequívoca e sem ruído,
A enormidade gritante deste meu sentir,
Que dentro de mim já não cabe,
Que as paredes de mim já não comportam,
Que a velocidade do meu pulsar,
Não consegue acompanhar.

Por isso,
Hoje,
As minhas pertenças são parcas,
Pois de mim,
Já pouco controlo,
De nada tenho propriedade,
Porque para ti tudo cedi,
Nos meandros dos momentos,
Vividos nessas noites,
Essas noites,
Essas mesmas noites,
Que juntos invocamos,
E as clamamos como nossas!

E porque quando contigo não estou,
Não te posso efectivamente ouvir,
Quando contigo não estou,
Não te posso alcançar o olhar,
Quando contigo não estou,
Não te posso realmente tocar,
Quando contigo não estou,
Não te posso sentir o odor,
Eu limito-me,
A assim,
Na pequenez das horas desperdiçadas pela tua ausência,
Nos espaços das letras,
Nas entrelinhas dos sentidos,
No tudo que se revela um nada de ti,
Ficar por aqui,
De olhos fechados,
A simplesmente,

S-e-n-t-i-r T-e!

21 comentários:

£oµ¢o Ðe £Î§ßoa disse...

Momento intenso...

Brain, um abraço!

as velas ardem ate ao fim disse...

Deixo te um olhar.

bjinho

wife disse...

E como tens essa capacidade...

Beijo sentindo-te
Tua

P-S disse...

Absolutamente lindo!

gata disse...

Sentir-te no espaço das letras
como só sentem poetas, sonhadores e alguns, poucos, loucos....

Beijo. de gata.

Putty Cat disse...

"(...)
O que é de ti, que posso chamar de meu
O que é de ti, que só a mim pertence
O que é de ti, que só em mim (te) encontras
O que é de ti, que só em mim (te) descobres
Quanto dos meus olhos te chamam
Quanto das minhas mãos te pedem
Quantos dos meus (re)cantos fizeste teus
Quanto da minha vida se mistura na tua?

( O que é de ti?
Quanto de ti? )

Não me fales, olha-me
Não me toques no que não se diz,
Não se escreve,
E não se omite.

Sente-me-te!"

(putty's few words)

Branca disse...

Hoje e sempre é bom sentir alguém em plenitude, não achas?!

Belíssimo!

Boa semana :)

Dhyana disse...

Olá Brian, passei para agradecer o teu amável e simpático comentário.
Beijos.

linfoma_a-escrota disse...

já não consigo escrever lamechiches ah decadas mas tá fixe, tb nao consigo sentir ah seculos portanto...


É nessas alturas que perfilo hologramas
interiorizando toda a magnificiência de
permeio calibre, como cera extroVertida
acrescentamo-nos aos electrões visíveis
pouco preocupados com dietas empinadas,
esbrachejam pelo assalto à memóriarreia
seleccionadora da imaginação a esquecer.

Mais importante que minha morte é
amamentar líbidos intelectuais a serem-
-vivos, pois nem uniformes nem rugas
têm direito de ameaçar empolgamentos
instântaneos por mexer em vidros embaciados,
uma migalhinha de 2c-B faria abrir teu troar
amarrado aos decertos riscos do mau-senso.

Talvez terror às vezes demais para neuróticos
que nunca enfrentaram prendas com pesadelos,
não entrem em iletracia porque vai passar e
custar a adormecer para depois alterares o
que viste cego, cerziu-se cupidamente, sem
arado ceifaste contendas galáctias no anelar e a
mobília aparenta agora estar confusa, cansada
do som cerebral amordaçado ao corpo aflito e
abraçado à sala-de-convívio-no-ar-livre-purificado,
arranhado-rectângulo, se insististe em pensar nisso.

Sou alguém sem nome, irreconhecível finalmente,
desprendido dos lamirés de latoeiros em estendal
sujeitados a rastrear máscaras demonstrativas de
impulsos nas comédias de reforço que padecemos,
ante o imperialismo esteróide, matamo-nos e
ressuscitamos condecorados de dançarinos mortos,
mas bravos, insignificantes asteróides neo-junkies.

Seja coberto de pulmicort, lama, sabão ou amaciAdor
aceito descobrir pelo método metafísico a euforia
que flutua em ângulos redondos, sem relógio
nem impostos, ai como vos adoro contemplar
displicentes estopinhas, fariseus das flores não
colhidas, vocês suportam acontecer e penhorar,
susceptíveis a contradizeres que confragem
os ensejos por doçuras em surdina e sem crédito,
nada é obrigatório mas vais sentindo os trejeitos.

À margem da alvenaria mastigamos vãs vagens
provenientes da loucura não tendenciada a seguir,
é sua propriedade ser influenciada pelo pingar do
algeroz que funciona como farol e massaja a nuca,
é ser adobe que não afunda, boiando pelas paisagens
até às 7maravilhas que cantam, englobam e aquecem
mãos laser de plenitude bertacarbolina, parece não
ter consistência porque vive do oxigénio que nos
atravessa e aponta para o fio invísivel que seremos.


in quimicoterapia 2004


WWW.MOTORATASDEMARTE.BLOGSPOT.COM

Helena Nunes disse...

Hoje revi-me nos teus versos.
Bjos

Peach disse...

sentir as palavras... é o que tu fazes.
kiss

borrowing me disse...

era para fazer um comentário, mas ao ouvir a musica fez me pensar em outro...
ouvi vezes sem conta esta musica...

é dificil estar longe, afastado, distante

mas é pior quando é propositado...

bjs
já tinha saudades de te ler...

Flor disse...

És intenso, estimulas intensidade...saímos do mundo "mudo"dos gestos sem sentido, que se tornam tantas vezes descodficados nos teus escritos.Passas muita das vezes a ser orienador, exemplo.
Obrigada

Utzi disse...

Lindo...

Hoje, particularmente hoje, preciso de ler coisas assim lindas porque o meu mundo está bem cinzento...

Um beijo

Som do Silêncio disse...

Brian!

Não te digo nada mais que...delicioso!

Beijo Silencioso

luso poemas disse...

ola
venha participar em www.luso-poemas.net
vai adorar e será uma honra a sua presença
abraços

Bichinho disse...

Beijo fantasma.

Claudia disse...

E sentir já não é tanto?!

Beijo meu

Um Momento disse...

Como é bom ler-te...
Deixo um beijo... sentido
(*)

Zézito do Nada disse...

belo momento

Papoila disse...

Neste simplesmente sentir... senti-te.

Beijos
BF