terça-feira, dezembro 09, 2008

Velho


Olá! Ainda bem que vieste. Porque quero contar-te uma coisa: Hoje, vi-me velho!

Não foi através de um espelho, que muitas das vezes nos retorna a imagem que o nosso cérebro constrói sobre nós. Não.

Vi-me pela objectiva de uma máquina de filmar num filme recente. E vi-me velho.

Não velho pelo cabelo branco, esse que sempre afirmo que tenho desde os 16 anos, mas que no fundo sei que a área do branco de agora, ocupa a do preto desses meus 16 anos e a restante, quase já não existe, por força da queda;

Não velho pelo espaço entre as mãos e os objectos que encurta cada vez mais e que resulta quase sempre no virar do copo cheio ou da garrafa sobre a mesa;

Não velho pelo acto repetido de tirar a gravata para almoçar, como forma de evitar sujá-la, nem da frustração de descobrir que tendo poupado a gravata, tenho de mudar de camisa;

Não velho pelo meu corpo, cujos músculos perdem cada vez mais densidade e firmeza e a luta pela manutenção dele se torna cada vez mais penosa com o passar do tempo, obtendo-se cada vez menos resultado em contraposição com o acrescer do esforço;

Não velho pelos meus amigos, que tal como eu, passam já todas as noites em casa e adormecem quase de imediato, após terem deitado o seu número múltiplo de filhos, enquanto aquele programa (de informação/debate) importantíssimo que tanto ansiavam por ver e não podiam perder, passa na televisão que está mesmo em frente ao sofá em que eles dormem, de boca aberta, sentados;

Muito menos velho pela minha mente, essa que agora considera ainda novos todos os que se situam na casa dos trinta, que afirma que o importante é o espírito jovem (sinal efectivo de que a idade começa já efectivamente a pesar) e que se orgulha pela perspicácia (que no fundo não reflecte mais do que experiência de vida) mas que não se pode dar ao luxo de dispensar a muleta do PDA, pois o que se lembra de manhã, não é o mesmo que se lembra ao início da tarde e muito menos à noite;

Não. Não falo destes aspectos que no fundo apenas agora reuni e que assim aglomerados reforçam ainda mais esta minha sensação. Não.

Vi-me velho… pelas rugas.

Não pelas rugas da pele. Essa pele na qual as mazelas deixam já marcas, na qual cada ferida demora agora muito mais tempo a curar e que também, guarda já muitas dessas marcas vincadas de expressão. Não.

Vi-me velho, pelas rugas vincadas no cansaço do olhar.

E digo-te que fiquei perplexo. Digo-te que fiquei surpreendido por não me reconhecer. Que fiquei mesmo abismado com aquele eu que estava perante os meus olhos, mas que os meus olhos não haviam ainda vislumbrado.

E neste momento penso: E tu? Como será que me vês tu?

Diz-me…

28 comentários:

.*.Magia.*. disse...

Há momentos assim em que nos apercebemos do imperceptivel...

Não diria velho, mas mais sensivel...

Putty Cat disse...

Ok. Falemos de Vinho, então!

Vejo-te como um bom vinho tinto, a amadurecer e consequentemente a intensificar paladares e aromas. Proveniente de Castas que, muito provavelmente, já nem existem...

És um excelente trago "Trintage"! É isso..!

Quais rugas, quais cabelos brancos, qual olhar envelhecido, quais quê, meu amigo!!


Há por aí TANTO vinho a Martelo....




Aqui da Vintage, toma lá um beijo meu, frutado.


;)

as velas ardem ate ao fim disse...

Vejo mágico!

um bjo

Susana S. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Escorpião disse...

Pois é meu "velho irmão" o tempo passa... sempre mais rápido do que desejamos, sempre pautado por esse relógio injusto que teima em não parar!
Mas aqui entre nós, que ninguém nos ouve, não te vejo velho.
Existem várias fases na vida de um homem demarcadas pelas suas realizações pessoais. Hoje tens mais idade, mas tens tanto mais do que tinhas aos 16!
A tal chamada lei da compensação :)
Velho... pelo contrário meu amigo, velho é sentirmos-nos com 16 num corpo de 30, vazios... sem nada para contar!

Abreijos

Walter disse...

Apenas te conhecendo pelas tuas palavras, ao ler-te pensei na metáfora do vinho do Porto...e gostei do modo como a Putty te descreveu...acho que as palavras dela traduzem na perfeição o que pensei.
walter

pin gente disse...

vejo-te os olhos... que dizem ser o espelho da alma

gostei!

um abraço
luísa

Rato Sorridente disse...

O mais importante da vida não é aquilo que parecemos, mas aquilo que somos.
Abraço

á flor da pele disse...

mais rico... :D

Baraújo disse...

tamos todos...

como te vejo? na flor da idade...

apesar de saber que tamos todos a caminho do mesmo...

calha a todos é mesmo!

abraço!

nuvem disse...

A idade passa, é certo, as rugas vão-se acumulando na pele e na alma, criando novas formas, moldando aquilo que somos... Mas a vida é mesmo assim, um "estar" ou um "ser" em constante mudança. Espero que tenhas sempre orgulho daquilo que vês, daquilo que és.

Beijo

as velas ardem ate ao fim disse...

um bjo

Twlwyth disse...

Bom texto e boa pergunta! :)

Beijo

Gaivota disse...

Com vontade de te ver outra vez... Ou pelo menos vontade de ver as tuas letrinhas todas tao bem colodas neste pano de fundo azul.

*

Gasolina disse...

Feliz Natal.

Com muita inspiração e palavras certas na dose a que me habituaste.

Um beijo Brain, tudo de bom.

Peach disse...

Um feliz natal para ti cheio de prendinhas boas e gostosas, junto das pessoas que mais amas.

Desculpa andar tão afastada dos comentarios, mas tenho andado cheia de trabalho e com coisitas pra fazer ;)

beijossssss
voltarei em breve

escarlate.due disse...

Este texto está mesmo fabuloso!!!


Feliz Natal, Brain

O'Sanji disse...

Não podia deixar de passar aqui e desejar-te boas festas!
Feliz 2009!

Papoila disse...

Vejo-te como um "Jovem-Ancião" no sentir e na forma como nos põe a pensar.

Um Beijo
Feliz Natal
BF

Amor amor disse...

Já li esse post tantas vezes que jurava que já tinha deixado meu comentário aqui. Bem, vamos lá, então: eu te vejo eterno e sábio. Porque o tempo dá experiência, e as tuas palavras não caem no esquecimento.
Mas idade é um tanto relativo, né? Como um amigo meu me disse, se alguém te comparar com uma alface, vc é velho; se te compararem com uma árvore, vc é jovem; e se te compararem com uma montanha, vc ainda nem nasceu.

Beijinhos doces cristalizados!!! ;o>

as velas ardem ate ao fim disse...

Just a kiss!

M∆ğΐ∆ disse...

Este post está a envelhecer!

:P

ZeManel disse...

Digamos que me revi nalgumas das tuas palavras (excelentemente redigidas).
Quanto à tua pergunta, como novato que sou neste espaço, no comments...!
Um abraço

Isabel disse...

Vejo-te como um Ser amadurecido pela Vida; mas, que nos continua a deliciar com as suas palavras sábias e que tem muito para nos dar da sua rebeldia juvenil.
Bom Ano de 2009

Bjt

Som do Silêncio disse...

Brain...

Tu texto brilhante...acompanhado por uma música soberba!!!

Feliz 2009

Bjs,
Som

Lena disse...

Passei só para deixar um beijo e desejar um feliz 2009!
Obrigado pela presença constante!
beijinho*

diana disse...

Um belíssimo texto que nos faz reflectir. Uma bao reflexão para 2009.

Boas entradas e 2009 feliz.

as velas ardem ate ao fim disse...

Desejo-te tempo, tempo para a vida.
Desejo-te tudo o que tu quiseres!

um bjo e Bom Ano!