terça-feira, outubro 20, 2009

Ausência


Há sítios onde me perco sempre…

Os caminhos da tua ausência são labirínticos
E parecem infindáveis,
Tal como os meus passos, quando os percorrem
Procurando ecos de ti.

Sinto-te perto na ausência
Porque a tua ausência não sou eu sem ti.
És tu espalhada, por todos os espaços.
Pedaços de ti, por entre todas as coisas.

A tua ausência:
A exacta medida,
Do espaço,
Que separa,
Os teus lábios dos meus.

8 comentários:

Vinte e Quatro disse...

Bem, a última estrofe.....está qualquer coisa! Gostei!!!

vinteEquatro

Putty Cat disse...

É um tema complicado de falar. Pior ainda, de escrever.

Mas resumiste de forma clara a tua visão sobre ela.

E eu gostei.


Beijo meu

Papoila disse...

E tão presentes que estão na ausêncaia que são...

SEmpre sentido
BF

Doce Pecado disse...

Excepcional, a ausencia sentida no mais profundo sentir.
Fantático testo.

Beijos

as velas ardem ate ao fim disse...

Perdermo nos é tão bom!

bjo

*flor* disse...

"Porque a tua ausência não sou eu sem ti.
És tu espalhada, por todos os espaços."


Adorei =')

**

nuvem disse...

Gosto tanto deste poema... :)

Beijos

Eli disse...

Ena! Que inspiração a música e as palavras!

:)