segunda-feira, novembro 09, 2009

Lembrar


Hoje lembro.
Acordei assim.
Hoje especialmente lembro.
Lembro tanta coisa...

Lembro aqueles dias inteiros de praia,
Lembro aquele episódio no dispensário,
Lembro de tantas vezes me dizeres
“quando o teu pai chegar, vou-lhe dizer!”
E eu sempre com medo à espera…
...e tu que nunca dizias.

Lembro o teu espírito guerreiro face à doença,
Lembro os teus últimos dias.
Lembro o teu último dia.

...

Lembro-me de ti quando me olhavas e sorrias.

Mas sobretudo,
Lembro-me da tua alegria de dar.
De como os teus olhos sorriam quando oferecias algo a alguém.
A expectativa era mais tua que de quem recebia.
Percebi hoje que foi de ti herdei isso.

Farias hoje 66 anos.

Ainda me aqueces…

Ainda me dóis.



Parabéns Mãe!



... e eu ...
... queria tanto sorrir ao lembrar-te ...
... mas não consigo ...
... ainda não consigo.

10 comentários:

nuvem disse...

Desculpa... agora percebo porque é que hoje não foi o melhor dia...

Deixo-te um beijo e um abraço.

Donagata disse...

Um beijo muito sentido. Nada nos aquece depois de uma perda destas.
A homenagem está linda. Percebe-se que gostas de dar. De te dares...

Amor amor disse...

O que importa realmente não é sorrir ou chorar quando te lembras dela, mas fazê-la viver sempre dentro de ti.

Beijinhos doces cristalizados!!! :o)

Walter disse...

Confesso que este blog me deixou os olhos marejados...se os teus textos primam pelo sentimento que imprimes às palavras, este, embora mais simples, é majestoso no sentimento que emana...

Paulo Sempre disse...

«a amizade, é um refúgio para o ego.»


Abraço

borrowingme disse...

bjs

CM disse...

Arrepiada... bejo

as velas ardem ate ao fim disse...

Recusemos a ideia do Pai Natal em que os desejos caem do Céu.

Ousemos acreditar no Pai Natal como ideia de esperança e confiança sem limites.


Feliz Natal.

A.S. disse...

Brain,

Falamos sábado no CL do Porto, na apresentação do livro do Pedro Branco.
Confesso que nunca tinha entrado no "Taradisses". Vim encontrar boa poesia, sensibilidade e muito bom gosto! Parabéns!

Terei todo o gosto caso queira passar pelo Poliedro!
Um dia destes combinamos para tomar um café.

Um abraço!
Albino Santos

as velas ardem ate ao fim disse...

Lembra te:

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)


Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.


Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.
[Carlos Drummond de Andrade]

Bjos Bom Ano!