sexta-feira, abril 04, 2008

…e uma vez mais


...

E uma vez mais me atiraste para dentro de mim,
De encontro às paredes do que sou,
Com a força do impregnar do silêncio nos poros,
E do desfocar das imagens nas retinas.

Tudo está,
É,
E pode ser.

Menos o eu sentir-me sepultado em mim,
Sem que tenha a vontade de sair,
Abrir a boca e dizer,
Arquear os lábios e sorrir,
Uma sílaba ou simples letra proferir...

Isso é que,
(...por favor...)
Não.

Não me eleves ao ponto mais alto de ti,
Não me mantenhas no pico de mim,
Não me leves pela mão a conhecer as estrelas,
Não me extasies com o brilho do teu olhar,
Não me dispares o pulsar com o teu toque de pele,
Não me extravases os sentidos,
Não me faças nada disto,
Mas...
...Não me sepultes em mim!

Porque um dia...

Um dia,
Eu posso perder,
Essa quase inata,
Capacidade,

De me...
...Ressuscitar!

19 comentários:

Sofia disse...

a unica capacidade que nunca se esgotará é a de ressuscitarmos após uma "viagem" ás nuvens... tudo volta ao inicio e novamente; uma outra viagem

Som do Silêncio disse...

E mais uma vez...
Deixaste-me com um amargo na boca...
Deixaste-me com um nó que me prende as palavras...
E mais uma vez Brain...um texto que me tocou!

Beijo carinhoso

Twlwyth disse...

O poder de Renascer é imenso, muito maior que a infinidade das estrelas.

Bom fim de semana.

Beijo

LNeves disse...

Portanto... Nem queres 8 nem 80?!

***MUAH***

Putty Cat disse...

Não acredito que alguma vez a percas...

Muito menos, que o consintas.


Beijo meu.

Bichinho disse...

Adorei!
Beijo fantasma.

Azul disse...

Dear Brain!

Perderes essa capacidade????!!!!
Não creio! Aliás. Tenho a certeza de que jamais a perderás.

Não está na tua natureza.

Meu beijo
Azul

Baraújo disse...

nao somos deuses para ter o olimpo...

somos humanos... com todas as nossas virtudes e defeitos...

quem te souber ler Brain, aprendeu aqui uma grande liçao de vida...

quem se acha endeusado nunca perceberá o que disseste.

Enorme ABRAÇO

nuvem disse...

Acho que essa capacidade, não a perderás nunca. Renasces a cada poema.

Beijo

Estranha pessoa esta disse...

...por um fio!

Cláudia disse...

Enquanto tiveres palavras destas dentro de ti, ressuscitarás sempre.

Não se sepulta aquilo que está vivo.

Obrigada pelas palavras amáveis e pela visita ao meu cantinho de "conversas".

Até breve. ***

**** disse...

Olá!
Há quanto tempo não passava por aqui...
Perdi o meu blog por alguma razão que desconheço,e este é o novo!
beijinho*

(Solitária ou Simplesmente... Eu! de "No silêncio das palavras")

Branca disse...

Como não sei o que dizer,
como não sei o que pensar,
como fiquei paralizada ao te ler hoje...
Apenas desejo que esteja tudo bem contigo e com a tua família, que o novo pequeno rebento seja como o sol quente de Verão, que tudo esteja colorido...

Beijos!

Walter disse...

Brain disseste-me que me lê se sente pequenino e eu sinto-me lisonjeado por me dirigires tais palavras...mas tu deixas-me rendido, siderado e sobretudo refém da magnitude das tuas palavras!
Ès simplesmente magistral...e este teu poema é um retrato fiel do que acabei de te dizer. SUBLIME
Abração
Walter

Pedro Branco disse...

Deixa-me ficar só. Em silenciosos gritos do meu feto corpo ensanguentado por entre cada capítulo da memória onde tu apareces e desapareces como uma nuvem ou onda ou simplesmente poeira. Deixa-me ficar só. Quero ter-te na plenitude do verso. No roncar sufocante dos passos em torno da mesma viagem. Na morte anunciada dos fogos que nos acendem a alma. Deixa-me ficar só. Na contemplação de cada fragmento de mim. Deste mim cansado de tanta solidão...

Reticências disse...

Brain,

Obrigada pelas palavras tão generosas que deixaste no meu blog…

Sempre que posso passo por aqui e recolho as tuas palavras, pensamentos, sensações…

Maria José disse...

E nesse dia, perder para sempre tudo o que tem força para crescer. Num instante. Fica nada.

Alquimia disse...

O Amor que nos eleva, é como sonhar e estar acordado... é um lançar de dados que dá seis mais seis, uma e outra vez...
É um extasiar de sentires, um olhar que nos trespassa a alma...
E um Amor assim... é o pulsar de dois corações em unissono.

Não é a morte que não tem fim, é a vida!

Beijinho meu feito pedacinhos.
Alquimia

Ana disse...

"Não me eleves ao ponto mais alto de ti,
Não me mantenhas no pico de mim,
Não me leves pela mão a conhecer as estrelas,
Não me extasies com o brilho do teu olhar,
Não me dispares o pulsar com o teu toque de pele,
Não me extravases os sentidos,
Não me faças nada disto,
Mas...
...Não me sepultes em mim!"


Não me estiques demasiado o fio da vida,
Não me susurres com essa voz quente que me hipnotiza.
Não me leves a viajar nas tuas asas,
Não me queimes o peito vestindo-me a pele com teu corpo,
Não me enlouqueças fazendo-me pensar que não existes...
E...
Não, não me encerres em mim.

"Porque um dia...

Um dia,
Eu posso perder,
Essa quase inata,
Capacidade,

De me...
...Ressuscitar!"


Beijos doces