quinta-feira, julho 24, 2008

Curtas 18 - Quase


Olho-te no soslaio de uma certeza de quase te ter tido em completo apenas para mim.

Na incerteza de um acidente que quase não aconteceu, ficou a certeza do choque que as tuas mãos provocaram no meu corpo.

Para mim, serás a eterna dúvida que o teu cheiro me dá como uma quase certeza.

Nas noites em que juntos quase dormimos, elevamo-nos a um estádio maior de sentires, nos lugares onde as nossas mãos quase aconteceram por dentro de nós.

E na emoção das memórias quase diariamente revividas, surges como o todo de um sentir de tudo o que quase foi nosso.

E o mundo que quase se vergou a nós e à explosão do que fomos, quase que ficou deserto, pelo esgar do grito que se soltou, quando tu quase te despediste de mim.

Eu, que quase morri no momento em que me apercebi que tu apenas quase ficaste, abandonei-me em prostração ao desvario dos meus pensamentos que quase pensei controlar, em todos os momentos que no mais fundo da tua ausência, quase te conseguia sentir.

E quase consegui ficar no mesmo lugar.
Mas a ausência dos teus sítios em mim, quase me deixaram vazio ao ponto de quase não conseguir respirar o ar, daquele lugar que quase foi nosso.

E quase consegui continuar a fazer as mesmas coisas.
Mas os teus gestos em mim impregnados, quase me transmitiam a tua omnipresença não me permitindo avançar no perseguir dos meus intentos, quase me prendendo os movimentos.

E... quase consegui continuar a ser eu.
Mas eu quase não existia sem ti; sem o calor que o teu olhar me transmitia quase não sendo necessário nada mais para me aquecer; sem o toque da tua pele que quase sentia quando te pensava; sem o som do teu sorrir que quase ouvia sempre que olhava uma foto tua.

E foi então que me apercebi que não fazia sentido continuar apenas a quase viver. Tu havias fugido para longe de mim. Levaras o teu corpo, o teu odor, o teu olhar, as tuas palavras, as tuas sonoridades... todos os meus sentires e quase a minha sanidade em todos os momentos em que pensava que…
...Quase fomos “nós”!

E agora, que apenas em pensamentos existo, quase vivo em ti, dentro de ti, por ter sido esse o lugar onde me guardaste quando soubeste que eu partira, por não ter sabido viver, sabendo, que apenas, quase te tinha tido!

E ironicamente,
Com isso,
Agora,
Quase posso dizer,
Que finalmente...


...Quase somos “nós”!



(inspirado pela música que tocou em loop durante quase 2 dias, os dedos não resistiram às teclas e saiu isto)

33 comentários:

Putty Cat disse...

Então, nesse caso, já somos 2 "inspirados".

Acho que o resultou ficou excelente!!

Beijo grande, quase, quase na tua bochecha!


PCat

NARNIA disse...

Emocionante como sempre, belo e profundo, as palavras absorveram o tom da sonaridade.

Um beijo carinhoso

Reticências disse...

Uau!!
Adorei! Particularmente a frase
'Para mim, serás a eterna dúvida que o teu cheiro me dá como uma quase certeza.'

Há Quases que são maiores que todo o resto das nossas vidas...

1 beijo

Esmeralda disse...

Os momentos ao tempo pertencem...
...o tempo faz os momentos.
Mas para quê os "quase"?
Os "quase" são entraves aos momentos pertencentes a cada tempo do tempo.
Nos "quase" se perdem os tempos dos momentos.

Não te fique pelos "quase"...

Lazy Cat disse...

É curioso como me reencontro na tua escrita e como fazes disparar o meu lado criativo.
Por mais do que uma vez surgiram coisas muito interessantes a partir de uma imagem tua.

Beijo.
(para todos)

Azul disse...

Dear Brain,

Quase...

"...quase vivo em ti, dentro de ti..."

Quase?! Não me creio.
Acredito que vives, no todo e no tanto que és. Da mesmo forma que, acredito que a tiveste em completo, por inteiro apenas para ti.

Beijo Meu
E mais um vez... Parabéns pela espectacular Curta inspirada por uma música lindissima.

Azul

Shelyak disse...

Sempre bom visitar-se calmamente...
Abraço :)

impulsos disse...

Brain
Fui ouvindo este quase ao longo deste tempo em que me embrenhei no teu pensamento e te fui lendo deixando-me ir no embalo do teu quase que te levou ao infinito do teu imenso EU...
Entre certezas e incertezas, fica a promessa de voltar a este lugar que nunca esqueci, embora por vezes o tempo não me permita vir tantas vezes quantas as que mereces, pois a tua escrita é sempre uma certeza de beleza e qualidade!

Um beijo

Baraújo disse...

adoro as tuas curtas... encontro nela sempre refúgios, subterfúgios, inspiração, revelações... sempre algo mais e mais q dou cmg a sentir essas palavras...

sempre teu.. estas tuas curtas...
sempre teu.. estas palavras...

aquele abraço

ivone disse...

e quase que assim se conseguiu

. R disse...

"Os dedos não resistiram às teclas e saiu isto" maravilhoso!


A música é fantástica!

E quase me fizeste chorar!

Beijinho,
Rita

Lena disse...

Simplesmente... fantastico!!:)
beijinho*

Ácido Cloridrix HCL disse...

Olá, tudo bem??? Desculpe a usurpação do espaço, mas gostaria de te convidar a participar no nosso pequeno inquérito,,,, talvez te interesse,,, Estarás de acordo com o casamento ou adopção entre homossexuais??? Agradecemos a tua opinião, se a quiseres dar em: http://sexohumorprazer.blogspot.com/2008/07/inqurito-de-opinio-casamento-entre.html . Agradecimentos antecipados, HCL

Twlwyth disse...

Depois de ler-te e reler-te chego à conclusão que ainda bem que os teus dedos não resistiram à tentação de descrever o que é sentir esta música.
Habitualmente associamos o tempo passado à palavra 'Quase', por isso o que mais me despertou a atenção foi este final criativo em que o 'Quase' aparece no presente e tão presente.

Beijo

Maria José disse...

Tenho apenas lido, toldada a escrita pelo tempo que corre sem me dar instantes nem deixar que os compre, para escrever palavras em comentário. Fixei-me hoje nas letras. E detive-me na fotografia. Fui dominada pelas asas...

Sophiamar disse...

Não tenho palavras para caracterizar o teu post. Usaste todas, tão bem, tão bem que fiquei maravilhada.
Beijinhos

Bem hajas!

.*.Magia.*. disse...

Enas, venho encontrar aqui "A" musica...

É linda...

E quanto ás palavras... Dizem que os amores impossiveis nunca se esquecem... sinto na pele que assim é... mas quando é amor... nunca se esquece, seja ele possivel, ou impossivel...

Deixo-te um beijo e fico a escutar... "A" musica...

Crystal disse...

E eu quase perdia um texto tão belo...

Papoila disse...

Perfeito ... sem quase ...
Completo
Pleno dos teus sentires sempre tão intensos.

Um beijo
BF

Walter disse...

Vou ser sincero, já li este texto muitas vezes e em todas elas acabo por silenciar as palavras, aliás, acho que não chego sequer a silenciá-las pq elas ficam mt distantes de mim. Este texto transpira sentimento por cada cadência, cada sinal de pontuação e por cada palavras com que nos brindas!soberbo as always
abraçao
walter

Lena disse...

Vim deixar um beijo..

=)

Nelita disse...

Podia dizer que quase gostei...mas a verdade é que adorei :)
voltarei :)

Sha disse...

Os teus textos quase me deixam sem palavras...

Beijo
Sha

as velas ardem ate ao fim disse...

E saiu fantastico!

bjo

á flor da pele disse...

E saiu algo de mt belo e intenso...
Beijo

The Hazy Looker disse...

Como percebo este "quase". Há vidas tão cheias de "quase"...

Maria José disse...

Quase... penso eu perdida em mim... podia adormecer se não tivesse um lugar vazio, à espera dos poucos instantes que ainda deixam que os olhos de fundam

Estranha pessoa esta disse...

ai mas, afinal???!!

Quando actualizas o estaminé??

Beijos

nuvem disse...

O estilo, sensibilidade e qualidade a que sempre nos habituaste... Gostei muito.

Beijinhos

Walter disse...

Espero ansiosamente pelas tuas palavras...abração
Walter

P-S disse...

Que dizer depois de todos esses comentarios?! Que dizer que não tenha sido dito?!
Bem, limito-me a dizer que adorei o texto como sempre...

Abraço

Nogs disse...

Fabuloso!

"quase" te digo que é um dos teus posts que mais adoro.

Beijoo

Estranha pessoa esta disse...

..............